Colunistas Diego Lara
11/01/2016 A insustentável leveza da Sustentabilidade

Se eu sou sustentável, significa que me sustento. Se você é sustentável, significa que você se sustenta. Mas a equação não fecha quando perguntamos: E quem sustenta o meu sustento? Pois não é novidade que cria-se palavras-chave para compor o quadro midiático corriqueiro. Nos embolamos em confusões insustentáveis. E a que mais dá nós é justamente a embolada da sustentabilidade dos processos de nossa vida. Pois já no slogan das corporações do século XXI apareciam os motes: Empresa sustentável! 

 

Pois há de se pensar. O meu, o seu, o nosso sustento, vêm de incontáveis fontes do planeta terra. As teclas de plástico que humildemente acionam as letras desse texto se extraem de minerais dos mais nobres do planeta. Mas um dia, essas teclas falharão. Precisarei de mais teclas. Eu tenho dinheiro para compra-las, mas será que o planeta terá mais minerais para me vender?

 

 

Caminhemos em aceleração direta rumo ao crescimento! Pra frente, Brasil! Pra frente, Planeta! Correria, herança deixada pelo Ayrton, que bem sabia escolher uma dama loira que ironicamente não precisava ser sustentada. Naqueles tempos ela já era sustentável! E parênteses: mais estranhamente e ironicamente ainda por algo que a natureza fez com muita destreza: Mattos! Feche parênteses. Pois caminhemos acelerados. Quanto mais velocidade menos possibilidade de ver o lixo enterrado pra trás. Quando todos estivermos na velocidade 5 será de fato o planeta Terra quem cantará o hino do CRÉU!

 

 

Eu me sustento, tu te sustentas, nós sustentamos mas, no fim, quem sustenta tudo é esse corpo global. Não é TV não, parece até que é, mas falamos aqui é do globo planetário mesmo. Tudo sai dele. E nada sai dele. Por isso lixo ou luxo tem apenas uma letra só de diferença. De qualquer forma, não devemos nos preocupar quando os requintes pomposos não mais se sustentarem, ou melhor, quando tal essa Terra não mais sustentar. O lixo proverá. E poderemos dizer que fomos muito espertos ao pisar no acelerador e que a moda mais legal mesmo é dar tchauzinho pra mamãe na linha de chegada!

DEIXE UM COMENTÁRIO
COLUNISTA
Diego Lara
EcoPepper - Geógrafo especialista em Estudos Ambientais pela PUC-Minas. Produtor e Editor de Vídeos pela Recorte Audiovisual.
ÚLTIMOS ARTIGOS