Colunistas Zé Maria Ulles
22/02/2019 Filme: A Favorita - nota 5,0

Muito barulho para pouco roteiro!!! A película não se decide entre drama, comédia e romance... A culpa do roteiro pertence a Deborah Davis e Tony McNamara. No final das contas é tudo isso de forma longa e enjoativa... São 120 minutos de duração!!! Mastigando – Em 1798, a desinteressada e depressiva rainha da Inglaterra recebe ajuda para governar de sua jovem conselheira - com quem possui laço afetivo bem carnal. Entretanto, com a chegada a corte da prima da conselheira, tudo muda de figura... Com perspicácia, a mais jovem moçoila, começa a se aproximar da rainha. E não tarda a descobrir as benesses do leito real. A atuação das três protagonistas convence mas não traz nada de superlativo. O que fica evidente é que Olivia Colman, Emma Stone e Rachel Weisz tem bons marqueteiros na Academia de Artes de Hollywood... Assim como, o diretor Yorgos Lanthimos. Cenas lentas e superficiais dão o tom da direção de Lanthimos. Com tanta mulher levada, o diretor perdeu a levada cinematográfica. Isso fica evidente com aproximadamente 50% da projeção. O filme se transforma em algo tolo e sem sentido. Nem as cenas de sexo lésbico  despertam a atenção; nem mesmo nos coelhos da trama... Na parte técnica: bom trabalho fotográfico de Robbie Ryan. Edição regular!!! Yorgos Mavropsaridis assina. Muito boa trilha sonora!!! Palmas para vestuário e direção de arte!!! A película custou 15 milhões de Dólares. Faturou 76 milhões nas bilheterias. A crítica norte americana venerou a obra dando média 8.7 em 10.0. Em resumo: a disputa entre as protagonistas não CONVENCE...

DEIXE UM COMENTÁRIO
COLUNISTA
Zé Maria Ulles
Quando menino, tinha o sonho de estudar Astronomia e fazer cinema. O tempo passou, e Zé se formou em Comunicação Social, História, Filosofia e Música.
ÚLTIMOS ARTIGOS