Colunistas Zé Maria Ulles
06/03/2018 Filme: A Grande Jogada Nota 6,5

O excesso de narrativa, ao longo de toda a fita, compromete o filme. A película tem 140 minutos de duração - e com esse formato cansa o expectador. O famoso roteirista, Aaron Sorkin, faz sua estreia como diretor. Ele também assina o roteiro. Na direção, Sorkin se sai bem com boas tomadas, contudo, a ‘construção’ da obra em seu todo fica comprometida, pela já citada narrativa. Inclusive, o excesso dela indica um roteiro grande - muito explicativo - e pouco enxuto. Mastigando – Jovem esquiadora é submetida a acirrado treinamento pelo pai na tentativa de transformá-la em grande atleta. Com o fracasso no esporte, a protagonista, agora, em fase adulta, parte em busca de novos mercados de trabalho, até encontrar emprego como assistente de um produtor de eventos que vivia promovendo jogos clandestinos de Pôquer. No elenco: Jessica Chastain, Idris Elba, Kevin Costner e Michael Cera. Boa música de Daniel Pemberton!!! Alan Baumgarten, Elliot Graham e Josh Schaeffer fazem ótimo trabalho de edição (com tanta narrativa, eles tiveram que se desdobrar). Fotografia regular!!! O filme custou 30 milhões de Dólares e teve arrecadação de 53 milhões. A crítica norte americana deu média 7.3 em 10.0. Um ponto de destaque do enredo: o questionamento na educação dada pelos pais aos filhos tem sido uma tônica em Hollywood. Em “A Grande Jogada” a relação entre pai e filha permeia boa parte da obra. O filme é extraído do livro, “O Jogo de Molly”, de Molly Bloom, lançado em 2014. No livro, figuras como Leonardo DiCaprio, Tobey Maguire e Bem Affleck participavam da jogatina. Apesar da narrativa, “A Grande Jogada” vale a aposta. Não é blefe!!!

DEIXE UM COMENTÁRIO
COLUNISTA
Zé Maria Ulles
Quando menino, tinha o sonho de estudar Astronomia e fazer cinema. O tempo passou, e Zé se formou em Comunicação Social, História, Filosofia e Música.
ÚLTIMOS ARTIGOS