Colunistas Zé Maria Ulles
04/12/2019 Filme: A Grande Mentira - nota 6,0

O enredo é obvio!!! Tenta disfarçar mas não engana... "A Grande Mentira" carece de um roteiro mais bem elaborado. Jeffrey Hatcher assina o mesmo. Mastigando – Senhor idoso mantem dialogo com mulher da mesma faixa etária por intermédio de site de relacionamento. Com o passar dos dias, surge o desejo de se conhecerem pessoalmente. Após as primeiras saídas, o enlace começa a entrar no campo da confiabilidade, até o dia, que o velho vai morar com a idosa – na casa dela. O diretor, Bill Condon, conhecido pelas obras "Kinsey" (2004), da Saga Crepúsculo (2011/2012) e "A Bela e a Fera" (2017) acerta com a câmera na mão - mas erra na elaboração. Ok, o filme prende o expectador, mas, ao mesmo tempo, deixa transparecer certo desleixo na construção do mesmo. Por exemplo, a trilha sonora é maravilhosa mas não tem nada haver com o filme. Inacreditável isso, não!!! Ela serve para uma película onde exista um romance profundo. Longe de ser o caso!!! O compositor Carter Burwell assina a confusão. Regular à edição de Virginia Katz. Muito boa a fotografia. Tobiás A. Schliessier leva o crédito. No elenco: Helen Mirren, Ian McKellen, Jim Carter e Russel Tovey. Os produtores arrecadaram somente um 12 milhões de Euros. A crítica norte americana achou regular. Média 5.9 em 10.0.  "A Grande Mentira" tem 110 minutos de duração e foi baseada na obra literária homônima de Nicholas Searie – lançada em 2016. Você não vai sair de mal humor do cinema, inclusive, parte do público, formado esmagadoramente por idosos, bateu palmas... Todavia, essa mentira agrada, mas não cola!!!

DEIXE UM COMENTÁRIO
COLUNISTA
Zé Maria Ulles
Quando menino, tinha o sonho de estudar Astronomia e fazer cinema. O tempo passou, e Zé se formou em Comunicação Social, História, Filosofia e Música.
ÚLTIMOS ARTIGOS