Colunistas Zé Maria Ulles
02/12/2017 Filme: A Rainha Victoria e Abdul Nota 6,5

Com uma história REAL, “A Rainha Victoria e Abdul”, proporcionam ao espectador - ao longo de seus 112 minutos de duração - uma obra charmosa e profundamente crítica. A aristocracia inglesa do século 19 fica despida em seus atos RIDICULARMENTE conservadores. Todavia, o melhor na fita está na mensagem que aborda a solidão de uma mulher rica e poderosa. Mastigando – Em idade bem avançada, a Rainha Victoria parece viver em continua depressão diante dos infindáveis eventos sociais pertinentes a coroa. Como em um passe de mágicas, ela se ‘apaixona’ por um servo indiano que a trata com esmero. ‘Enfadonhada’ de tanto puxa-saco, a rainha traz/promove Abdul para o útero da corte local. No elenco a magnífica Judi Dench. Ótima interpretação de Ali Fazal. Se destacam no elenco: Adeel Akhtar e Paul Higgins. Maravilhosa Direção de Arte!!! Bela fotografia. Danny Cohen assina. Ótima edição de Melanie Ann Oliver!!! O diretor, Stephen Frears, conhecido por Relações Perigosas (1988), “Philomena” (2013) e “Florence” (2016) faz um filme muito agradável. Capricha nas tomadas. O problema da obra fica por conta de um roteiro que te prende, todavia, parece estar com o freio de mão puxado. Lee Hall assina. No filme tudo é bom, mas faltou alguma coisa!!! A película arrecadou 63 milhões de Dólares em todo o mundo. A crítica norte americana gostou. Já a inglesa bateu firme não poupando diretor e roteirista. Para ela, o filme tem muita invenção (Será mesmo ou é um ataque aristocrático!?!?). Média 6.0 em 10.0. Seja lá como for!!! A obra, “A Rainha Victória e Abdul”, fala de algo fundamental: de uma relação baseada na CONFIANÇA!!! 

DEIXE UM COMENTÁRIO
COLUNISTA
Zé Maria Ulles
Quando menino, tinha o sonho de estudar Astronomia e fazer cinema. O tempo passou, e Zé se formou em Comunicação Social, História, Filosofia e Música.
ÚLTIMOS ARTIGOS