Colunistas Zé Maria Ulles
31/10/2019 Filme: Ad Astra- nota 6,0

Excelente mensagem!!! Todavia, o filme é extremamente lento. Boa parte do roteiro retrata um astronauta SOZINHO no espaço. Protagonistas solitariamente perdidos em ilhas ou mesmo a deriva em pleno oceano você ainda aguenta... Mas viajando por planetas, precisa ter muito roteiro para justificar. Não é o caso de "Ad Astra" Mastigando – Astronauta e alertado pela NASA de que seu renomado pai - tido como morto - estaria emitindo ondas magnéticas, da órbita de Netuno, altamente prejudiciais a Terra. Diante da realidade, o protagonista parte em missão secreta na tentativa de salvar o planeta. O diretor, James Gray, vendeu bem a ideia central da obra, mas não consegui resumir um roteiro ALTAMENTE enfadonho. Para piorar... E deixar o expectador perdido no espaço, "Ad Astra" tem 124 minutos de duração. Todavia, as cenas são muito bem realizadas. Gray é conhecido pelos filmes "Dois Amores" (2008) e "A Emigrante" (2013). Excelentes efeitos especiais!!! Bela fotografia!!! Hoyte Van Hoytema assina. Bom trabalho de edição de John Axelrad e Lee Haugen. Competente trilha sonora. Max Richter leva o crédito. O diretor e Ethan Gross assinam o roteiro ruim... A obra custou 90 milhões de Dólares e arrecadou 120 milhões. A crítica norte americana teceu elogios. Média 7.8 em 10.0. No elenco: Brad Pitt, Tommy Lee Jones, Liv Tyler e Donald Sutherland. Abordar a importância/representação de um MITO mexe com o coração de qualquer um... A mensagem da fita é valida!!! 

DEIXE UM COMENTÁRIO
COLUNISTA
Zé Maria Ulles
Quando menino, tinha o sonho de estudar Astronomia e fazer cinema. O tempo passou, e Zé se formou em Comunicação Social, História, Filosofia e Música.
ÚLTIMOS ARTIGOS