Colunistas Zé Maria Ulles
28/10/2019 Filme: Divaldo – O Mensageiro da Paz - nota 8,5

Belíssimo filme!!! Se na película "Alan Kardec" (2018) o roteiro pecou em não mostrar o mundo espiritual interagindo diretamente com os vivos/encarnados, no filme em questão, a relação acontece quase todo o tempo atraindo o espectador para a temática espirita. Mastigando – Em 1933, na cidade baiana de Feira de Santana, menino revela aos pais que vê os mortos. Tachado como louco pela família e pela Igreja Católica, o guri passa a desenvolver mediunidade de vidência... Na juventude, os poderes aumentam com a capacidade psicográfica e de incorporação. Diante da realidade, o caminho de vida do protagonista seria mesmo o de aumentar as relações entre os dois mundos da existência. O diretor, Clovis Mello, foi de grande delicadeza ao abordar vida e obra de Divaldo Franco. Lindas imagens caracterizam a película, além de um belo trabalho na direção dos atores. Contudo, o grande mérito fica por conta da DINÁMICA empregada... Às cenas tem vida!!! A câmera não para – o que produz competente contraponto aos longos diálogos. Mello também roteirizou a fita. E a história é bem amarrada com risos e lágrimas bem distribuídos. Muito boa fotografia!!! Excelente trabalho de edição. Boa trilha sonora. Excelente cenografia!!! O elenco parece de outro mundo... Todos bem encarnados em seus respectivos papeis: Bruno Garcia, Guilherme Lobo, Regiane Alves, Laila Garin e Marcos Veras. O plano espiritual avisou ao médium Divaldo Franco que a encarnação dele já está chegando ao fim... E "Divaldo – O Mensageiro da Paz" parece remeter a esse 'The End' retratando a vida de abnegação ao mundo ordinário e a profunda dedicação ao próximo... Belo filme!!! Bela lição de vida!!!

DEIXE UM COMENTÁRIO
COLUNISTA
Zé Maria Ulles
Quando menino, tinha o sonho de estudar Astronomia e fazer cinema. O tempo passou, e Zé se formou em Comunicação Social, História, Filosofia e Música.
ÚLTIMOS ARTIGOS