Colunistas Zé Maria Ulles
23/02/2018 Filme: Eu, Tonya Nota 7,0

O filme é um prato cheio para PSICÓLOGOS e FILÓSOFOS!!! Especialista em comédias, o diretor faz excelentes tomadas, mas se perde na concepção PASTELÃO dada a obra. É verdade que dificilmente se vê tanto personagem estupidamente idiota em um mesmo filme, mas, Craig Gillespie, exagerou ao banalizar uma história cujo argumento passeia com gosto pelo drama. Gillespie é conhecido por “The Finest Hours” (2016). Mastigando – Jovem patinadora tem infância difícil pela falta de recursos financeiros e, principalmente, pela educação rígida da progenitora. Diante da relação complicada, a protagonista sai de casa e acaba se casando com sujeito agressivo e sem futuro. Margot Robbie faz ótimo trabalho, assim como, todo o elenco. Entre eles, Sebastian Stan, Allison Janney (excelente atuação) e Paul Walter Hauser (ótimo como o idiota-mor). Excelente edição de Tatiana S. Riegel!!! A trilha sonora merece atenção e as canções também - a maioria delas são setentistas!!! Peter Nashel assina. Boa Fotografia!!! A fita tem 119 minutos de projeção. Foram gastos 11 milhões de Dólares com arrecadação de 32 milhões. A crítica norte americana deu média 7.8 em 10.0. “Eu, Tony” advém de fato REAL envolvendo a vida conturbada da patinadora americana Tonya Harding. A história é tão tristemente/surreal que merece ser vista!!! Pena que o diretor tenha feito tanta gracinha!!!

DEIXE UM COMENTÁRIO
COLUNISTA
Zé Maria Ulles
Quando menino, tinha o sonho de estudar Astronomia e fazer cinema. O tempo passou, e Zé se formou em Comunicação Social, História, Filosofia e Música.
ÚLTIMOS ARTIGOS