Colunistas Zé Maria Ulles
13/05/2019 Filme: Gloria Bell - nota 4,0

O diretor, Sebastián Lelio, conhecido por "Uma Mulher Fantástica" (2017) e o excelente "Desobediência" (2018) refilmou - seu trabalho cinematográfico chileno - "Gloria" (2013) para "Gloria" Bell (2018). O resultado foi ruim!!! A obra não agrega nada de novo... A ideia central de mostrar as dificuldades no relacionamento amoroso deixa a película no campo comum. Nem mesmo a, sempre competente, interpretação de Juilanne Moore salva o filme da mesmice... Mastigando – Mulher divorciada de quarenta e poucos anos adora sair a noite para dançar. Em uma dessas noitadas, conhece um homem, aparentemente, tímido e bem problemático. Com o passar do tempo, surge um romance entre eles que vai se caracterizar por grandes dificuldades. As canções da Era Disco/década de 70 permeiam boa parte do filme. Além da protagonista, às músicas são a parte forte da obra. Matthew Herbert é o responsável. Regular a fotografia de Natasha Braier. Boa edição, Soledad Salfate assina. Sebastián Lelio fez um filme insosso. Capricha nos 'close up' para enaltecer expressões das personalidades, mas no geral, "Gloria Bell" nem, esteticamente, agrada. Câmera pressa, quadrada, sem maiores passeios!!! O diretor se fiou tanto na potencialidade da protagonista que esqueceu do resto. O roteiro elaborado por Lelio e Alice Johnson Boher deveria ter explorado melhor as outras relações amorosas apesentadas... Daria mais CORPO ao filme. Da maneira como ficou, comprometeu!!! "Gloria Bell" faturou sete milhões de Dólares nas bilheterias. A crítica norte americana gostou. Média 7.8 em 10.0. A fita tem 102 minutos de projeção. No elenco: John Turturro (bom trabalho), Michael Cera, Jeanne Tripplehorn. 

DEIXE UM COMENTÁRIO
COLUNISTA
Zé Maria Ulles
Quando menino, tinha o sonho de estudar Astronomia e fazer cinema. O tempo passou, e Zé se formou em Comunicação Social, História, Filosofia e Música.
ÚLTIMOS ARTIGOS