Colunistas Zé Maria Ulles
20/01/2018 Filme: Lou Nota 7,0

Quando o filme termina, o expectador ainda quer mais!!! Altamente CATIVANTE a obra da diretora Cordula Kablitz-Post. Ela se baseou no livro “Minha Irmã, Minha Cônjuge: A Biografia de Lou Andreas-Salomé” do escritor H.F.Peters. Cordula faz o espectador mergulhar no filme diante de uma suavidade nas imagens e na agilidade em lidar com a questão temporal - passado/presente. Em tempos de valorização do papel da mulher no cenário mundial, a diretora quis mostrar e difundir um MITO feminino. E Cordula conseguiu!!! Mastigando – Em 1878, jovem mulher busca quebrar normas estabelecidas pela sociedade quanto ao comportamento feminino. Disposta a estudar - atitude inadequada para uma moça da sociedade - a protagonista choca sua mãe pela determinação. Alguns anos mais tarde, sai de casa para entregar seu tempo ao conhecimento filosófico e psicanalítico. Com o passar dos anos, seu ímpeto - nada comum nas amélias da época - coloca VÁRIOS homens aos seus pés. Excelente edição!!! Beatrice Babin assina. Bela trilha sonora de Judit Varga. A fotografia merece atenção. Trabalho de Maththias Schellenberg. A personagem principal é interpretada por quatro atrizes. No elenco se destacam:  Katharina Lorenz, Liv Lisa Fries, Julius Feldmeier e Alexander Scheer. As imagens de cartões postais mostrando lindos locais de Berlim e São Petersbugo deram um encantamento a obra - além de jogar o expectador na realidade histórico/temporal. Foram gastos, aproximadamente, sete milhões de Dólares para fazer a fita. O filme tem 110 minutos de duração. O roteiro é primoroso!!! Cordula Kablitz-Post leva o mérito. No Brasil, a filósofa e psicanalista, Lou Andreas-Salomé, não é muito conhecida - apesar dos 17 livros publicados. Resumo: Não perca “Lou”!!!

DEIXE UM COMENTÁRIO
COLUNISTA
Zé Maria Ulles
Quando menino, tinha o sonho de estudar Astronomia e fazer cinema. O tempo passou, e Zé se formou em Comunicação Social, História, Filosofia e Música.
ÚLTIMOS ARTIGOS