Colunistas Zé Maria Ulles
31/10/2019 Filme: Morto não Fala – no 6,0

Nos últimos anos, o gênero de horror parece ter morrido nas produções cinematográficas nacionais - que ficaram na sombra dos filmes "tipo B" do lendário diretor José Mojica Marins (mais conhecido como Zé do Caixão). Todavia, no filme em questão, morto fala sim e o susto é garantido!!! Mastigando – Plantonista que trabalha limpando e costurando defunto, em necrotério do Instituto Médico Legal da cidade de São Paulo, tem poder mediúnico e diariamente conversa com os presuntos/clientes. Como o ato da fofoca permeia todas as dimensões, o pobre sujeito é alertado que o capeta ronda sua família. Estreante na telona, o diretor, Dennison Ramalho, faz trabalho competente. Algumas cenas ARREPIAM e no geral a obra tem boa levada. Ramalho surge no cenário nacional como um representante do gênero de terror... Edição caprichada!!! Jair Peres assina. Boa fotografia de André Faccioli. Muito boa a trilha sonora!!! Ótimo trabalho de maquiagem!!! Bons efeitos especiais... O elenco com Fabíula Nascimento, Bianca Comparato, Marco Ricca e Annalara Prates está muito bem!!! O destaque fica por conta do protagonista Daniel de Oliveira. Apesar dos 110 minutos de projeção, o filme 'peca' por um roteiro muito enxuto... A dupla de roteiristas, o diretor e Claudia Jouvin, poderia ter expandido algumas situações ou mesmo dado ênfase maior a alguns personagens. Para a maior parte da crítica brasileira a película agradou. Média 7.0 em 10.0. "Morto não Fala" é extraído de um CONTO do escritor e jornalista Marco de Castro. Vale a pena prestigiar o filme e ficar ligado nas SOMBRAS, até porque, chifre não é coisa só do diabo...

DEIXE UM COMENTÁRIO
COLUNISTA
Zé Maria Ulles
Quando menino, tinha o sonho de estudar Astronomia e fazer cinema. O tempo passou, e Zé se formou em Comunicação Social, História, Filosofia e Música.
ÚLTIMOS ARTIGOS