Colunistas Zé Maria Ulles
28/01/2020 Filme: O Farol - nota 2,0

A obra é extremamente ENFADONHA!!! O roteiro feito pelo diretor e Max Eggers não acrescenta... Não que a temática seja ruim, muito pelo contrário, Em 2016, a obra cinematográfica "A Luz entre Oceanos" passeia pelo mesmo, mas ao contrário de "O Farol"... É imperdível!!! Mastigando – Em 1881, dois faroleiros desembarcam na ilha do farol para cumprirem um mês de labuta. O chefe com profunda experiência passa a tratar de forma agressiva seu inexperiente subordinado. Com a solidão do lugar, não tarda para as desavenças se transformarem em um conflito mais sério. O diretor, Robert Eggers, constrói a película em preto e branco. Até aí, tudo bem!!! Procurou transmitir a ideia de um filme de arte priorizando um tom estético relevante ao conteúdo histórico, mas usar dimensão de tela em 4:3 - saindo do padrão normal de 'widescreen' 16:9 - é nostálgico demais. "O Farol" parou no tempo!!! Em seu segundo filme para a telona, Robert Eggers se preocupou mais com a forma do que dar conteúdo ao todo. Muito boa a fotografia de Jarin Blaschke!!! Boa trilha sonora. Mark Korven assina. Bom o trabalho de edição. Louise Ford leva o crédito. A película tem apenas três atores – na realidade dois. E o roteiro não RENDE com tão poucos personagens...  Todavia, se os diálogos entre os protagonistas não saem do ordinário, as excelentes atuações de Willem Dafoe e Robert Pattinson se desvinculam de um todo muito ruim. A Atriz, Valeriia Karaman, faz o papel de objeto de desejo/sexual no corpo de uma sereia má. A produção gastou somente quatro milhões de Dólares para fazer o filme. Nas bilheterias, a arrecadação foi de 13 milhões.  A crítica norte-americana venerou. Média 8.2 em 10.0. Provavelmente, "O Farol" será o pior filme do ano!!! A película deveria se chamar a 'masturbação' - diante do elevado número de vezes que esse exercício foi interpretado, ou seja, gozo, mesmo, só na tela. Ao longo dos intermináveis 110 minutos de projeção, a plateia ficou, foi no soninho.  

DEIXE UM COMENTÁRIO
COLUNISTA
Zé Maria Ulles
Quando menino, tinha o sonho de estudar Astronomia e fazer cinema. O tempo passou, e Zé se formou em Comunicação Social, História, Filosofia e Música.
ÚLTIMOS ARTIGOS