Colunistas Zé Maria Ulles
08/09/2018 Filme: O Orgulho Nota 7,0

A realidade de um planeta em processo de Mundialização em que culturas se entrelaçam - seja via internet ou mesmo através da crescente migração de estrangeiros em outros países - tem provocado uma onda de produções cinematográficas. Em "O Orgulho" o diretor, Yvan Attal, transmitiu muito bem o momento atual. Mastigando – Jovem estudante passa por situação constrangedora em seu primeiro dia de aula na faculdade de DIREITO quando um professor politicamente incorreto passa dos limites ao reclamar do atraso da moça. Por ser suburbana e descendente de árabes, a jovem percebe o tom radical do mestre ao longo das aulas. Todavia, com o grande numero de reclamação sobre o comportamento do professor, as coisas PRECISAM mudar. Em ambos!!! Yvan Attal construiu uma obra leve e bem humorada. Conduzindo com perfeição atores e sua câmera. As imagens são bem realizadas/pensadas... Nas salas de aula, no trem e no subúrbio... O diretor também roteirizou a fita junto com outros quatro profissionais. O roteiro é ótimo!!! Boa trilha sonora de Michael Brook. Muito boa fotografia. Rémy Chevrin assina. Célia Lafitedupont comete alguns tropeços mas não compromete o todo na edição. No elenco: Daniel Auteuil (fantástico!!!), Camélia Jordana (venceu o César de atriz revelação), Yasin Houicha e Nozha Khouadra. O filme tirou nota baixa nas bilheterias. Nove milhões e trezentos mil Euros para uma produção de 9.7 mil. À crítica francesa aprovou. Média 8.0 em 10.0. Uma Sessão da Tarde muito bem feita!!! Daquelas que você perde o cursinho de inglês ou mesmo chega atrasado ao trabalho para ver. São 96 minutos de duração.

DEIXE UM COMENTÁRIO
COLUNISTA
Zé Maria Ulles
Quando menino, tinha o sonho de estudar Astronomia e fazer cinema. O tempo passou, e Zé se formou em Comunicação Social, História, Filosofia e Música.
ÚLTIMOS ARTIGOS