Colunistas Zé Maria Ulles
20/02/2018 Filme: Três Anúncios para um Crime Nota 6,5

“Três Anúncios para um Crime” venceu o ‘Globo de Ouro’ para melhor filme/drama. Foi indicado a seis estatuetas para o Oscar e eleito na lista dos dez melhores filmes de 2107.’ Muito alarde para pouca coisa!!! Na verdade, a política está contaminando tudo. A questão dos maus tratos as mulheres e o fator ONU/empoderar criou um momento propício para a fama exagerada da película. Mastigando – Em pequena cidade do estado do Missouri, mãe se revolta com a incapacidade das autoridades policiais em resolver o caso de estupro e assassinato de sua filha. Para divulgar a incompetência deles, ela faz propaganda - do descaso - em três cartazes localizados na estrada. Apesar do bom roteiro original, o diretor e roteirista, Martin McDonagh, deixa transparecer furos imperdoáveis como: um ‘possível’ assassino invade o local de trabalho da protagonista e ninguém fica sabendo. Eu, hein!?!? A relação da mãe com a filha poderia ter sido mais bem explorada. Já que a personalidade (forte e difícil) da protagonista faz parte da base do roteiro. Direção segura de Martin McDonagh, mas no geral, construiu uma obra pouco consistente, ou seja, o roteirista complicou o diretor!!! O fim do filme é um bom exemplo!!! O ELENCO é o que há de melhor na fita, a começar por Frances McDormand. Destacam-se também: Woody Harrelson, Sam Rockwell e Peter Dinklage. Boa edição e fotografia, assinam, respectivamente, Jon Gregory e Ben Davis. O filme tem 115 minutos de projeção - se colocasse mais dez, deixaria a fita mais encorpada. O custo de produção foi muito baixo, 12 milhões de Dólares, para uma bilheteria de 111 milhões. A crítica norte americana adorou!!! Média 8.3 em 10.0. “Três Anúncios para um Crime” vale a pena ser visto, mas não vá esperando muito. O ‘politicamente correto’ está fazendo das suas, assim como, em 2017, fez “Moonlight” vencer na marra!!! 

DEIXE UM COMENTÁRIO
COLUNISTA
Zé Maria Ulles
Quando menino, tinha o sonho de estudar Astronomia e fazer cinema. O tempo passou, e Zé se formou em Comunicação Social, História, Filosofia e Música.
ÚLTIMOS ARTIGOS