Colunistas Zé Maria Ulles
26/02/2020 Filme: Um Lindo Dia na Vizinhança - nota 6,0

"Um Lindo Dia na Vizinhança" retrata fatos reais extraídos da matéria "Você pode dizer, herói ?" feita pelo repórter, To Junod, e publicada na revista 'Esquire' em 1998. Bela mensagem, entretanto, o filme peca pelo excesso de MELODRAMA. Somente com 70% de projeção que a obra 'segura' o espectador. Antes disso, a levada - enfadonha - deixa os olhos meio fechados. Mastigando – Apresentador de programa popular entre as crianças, concede entrevista para jornalista mal visto na profissão por causa da forma informal e grosseira com que trata os temas abordados. Sabedor das características profissionais do entrevistador, o ídolo das crianças - e dos adultos - cria um método bem particular de responder os questionamentos do repórter. Marielle Heller dirige o filme de forma burocrática. Ela fez da maneira de ser do protagonista a forma da levada da película. O resultado foi uma lentidão desconcertante. Em seu terceiro filme para a telona, Heller vende a mensagem, mas a um custo alto, em que a forma infantiloide (a maioria das cenas externas são feitas com filmagem em "stop motion" de brinquedos) atrapalha o conteúdo ADULTO. Ok, ela tenta levar o espectador para o mundo do apresentador, mas não ficou bom... O roteiro não ajudou. Trabalho ruim de Micah Fitzerman-Blue e Noah Harpster. Um dos fortes da obra está no ótimo trabalho dos atores. São eles: Tom Hanks, Mathew Rhys, Chris Cooper e Susan Kelechi Watson. O outro fica por conta da MENSAGEM que nos remete a complicada 'trinca existencial' - que tanto apavora nosso íntimo: perda→ amargura→ ódio. Boa fotografia de Jody Lee Lipes. Competente trilha sonora do compositor Nate Heller. Boa edição. Crédito para Anne McCabe. O filme custou barato, 25 milhões de Dólares. Os produtores arrecadaram 62 milhões nas bilheterias. A crítica norte-americana adorou. Média 8.0 em 10.0. Você não vai sair com raiva do cinema, mas era melhor ter assistido em casa - se bater um soninho, vc já está lá...

DEIXE UM COMENTÁRIO
COLUNISTA
Zé Maria Ulles
Quando menino, tinha o sonho de estudar Astronomia e fazer cinema. O tempo passou, e Zé se formou em Comunicação Social, História, Filosofia e Música.
ÚLTIMOS ARTIGOS