Colunistas Zé Maria Ulles
26/02/2019 Filme: Vice - nota 7,0

O forte da obra fica por conta de um roteiro competente. Fatos históricos dão consistência ao tema principal. Contudo, o enredo revela 'parcialidade' do autor, mostrando apenas o lado ideológico do mesmo. Apesar dos quase 15 anos na direção cinematográfica, Adam Mckay, não possui nada relevante no currículo. O que fica claro em "Vice", é a forma linearmente correta de sua direção. Como contador de estória, Mckay passou no teste. E não por acaso, ele assina também o roteiro. A atuação de Christian Bale, Sam Rockwell, Steve Carell e Amy Adams são de tirar o chapéu. Ainda no elenco: Naomi Watts e Alfred Molina. Mastigando – Em 1963, o jovem e alcóolatra, Dick Cheney, é preso ao dirigir embriagado. Depois de levar uma dura - com nuances de ultimato - da bela esposa, o protagonista resolve virar HOMEM. E realmente vira!!! No ano de 2000, chega ao cargo de Vice-presidente dos Estados Unidos da América. E para melhorar as coisas, passa a ter mais poder que o próprio líder da nação mais poderosa do mundo. A excelente edição é assinada por Hank Corwin. Oscar nele!!! Bela trilha sonora. Nicholas Britell leva o crédito. Muito bom o trabalho de vestuário. Ótima fotografia de Greig Fraser. A vida de Dick Cheney não agradou o público. A obra arrecadou 59 milhões de Dólares para um custo de 60 milhões aos produtores. Para a crítica norte americana. Média 6.4 em 10.0. "Vice" tem formato de documentário ao longo de seus 132 minutos de duração. Em alguns momentos, fica sacal mas a história atrai o espectador... Até porque, George W. Bush e Dilma Rousseff tem algo em comum...

DEIXE UM COMENTÁRIO
COLUNISTA
Zé Maria Ulles
Quando menino, tinha o sonho de estudar Astronomia e fazer cinema. O tempo passou, e Zé se formou em Comunicação Social, História, Filosofia e Música.
ÚLTIMOS ARTIGOS