Colunistas Diego Lara
16/02/2016 Nós somos a natureza

Nesse carnaval não escolhi as ruas enfeitadas pelas fantasias nem a multidão dos blocos. Escolhi um recolhimento. Uma caminhada de 40km em regiões serranas do Espinhaço. Deu bastante tempo para milhares de ideias e pensamentos invadirem minha mente. Andando pelos altos das serras onde se ouve muito bem a respiração do planeta, deu para sentir minha pequenez. E um pensamento que tomou conta desde o começo da trilha foi o sentimento de pertencimento. Alias, a certeza do pertencimento. A certeza de que naquela imensidão eu era apenas uma mistura de energia, tanto quanto cada inseto que passava por ali, ou cada matinho ou flor que estava no caminho.

 

Essa certeza me fez questionar ainda mais a vida moderna e o que ela chama de natureza. A vida moderna quer nos separar do contato. Nascemos em hospitais e desde o inicio somos vestidos, calçados e criados em asfaltos e apartamentos. Interessante, apartar, apartamentos. Enfim, é assim que a vida moderna quer nos apartar da natureza. Como se fossemos algo fora da natureza. Como se a natureza fosse o que está do lado de lá. Como se nós pudéssemos observá-la de fora.  Não há possibilidade disso. Nós, juntos, sociedade, compomos todo o ambiente e espaço que chamamos natureza. E tudo, tudo mesmo, cada coisinha que vemos e temos contato, vem de algum lugar dessa natureza. Metais, plásticos, toda a matéria-prima. Não há separação. Há a ilusão de separação, através de palavras e culturas. Individual. É apenas uma palavra. Para os sentimentos que me invadiram durante essa caminhada em terras, de certa forma, virgens, não há palavras.   

 

DEIXE UM COMENTÁRIO
COLUNISTA
Diego Lara
EcoPepper - Geógrafo especialista em Estudos Ambientais pela PUC-Minas. Produtor e Editor de Vídeos pela Recorte Audiovisual.
ÚLTIMOS ARTIGOS