Colunistas Pepperina
15/05/2020 Pepperina sensual na quarentena : Chama acesa por : Phipho


Ah! Como a vida é bela
Teu cheiro em mim aflora e provoca imenso desejo
O membro sem demora levanta-se e coloca-se em prontidão
Fecho os olhos e passo a tocar-te percorrendo todo seu labirinto
Pacientemente, ouvindo todo seu gemido, alterno caricias e tapas numa deliciosa pirraça
Me perco em seu pescoço, puxo seu cabelo, sinto seus lábios rígidos, alterados
Te beijo, vorazmente, como a primeira vez
Solto e retorno a trilhar seu corpo num deslizar das minhas mãos e da minha boca
Arrebato seus peitos, seu corpo por inteiro, em frenético movimento
Você não aguenta e empurra minha cabeça em direção ao seu abismo de prazer
Não obedeço, desço direto, vou até seus pés
Retorno e te viro de costas mordendo a sua bunda
Você geme, grita e se vira, retribui a mordida e suplica - Me chupa
Obedeço e só então a língua movimenta-se delicadamente de um lado para o outro, para cima e para baixo num vai e vem provocante, o ritmo acelera e colocando-a no clitóris finalmente sinto seu delicioso e viciante sabor
Momentaneamente paro, imaginando sua pupila completamente dilatada e sussurro gostosa
Volto a me aventurar na sua parte mais úmida, onde a chupo sugando todo seu néctar, num delicioso movimento irresistível
Você por um triz me puxa para cima, me aperta, morde, beija
Bate no meu rosto e em minha bunda, suplicando - Coloca, enfia, vai
O talo, bem mais firme, rígido, latente assume o seu lugar e pacientemente, provoca e enfim te dilacera penetrando lentamente sua caverna totalmente lubrificada, suculenta e sedenta de prazer
Nossos corpos viram um só, numa conjunção carnal ritmada em um movimento perfeito
Fala baixinho, suspirando e se contorcendo - isss isss, aí, vai, isso, vem, mete... Tapas, beijos, mordidas, apertos, suspiros, gritos e mais gritos
Você diz - Vem, gostoso, agora
Aperta-me quase quebrando meus ossos, finca suas unhas marcando o seu homem
Suspendo meu corpo e imediatamente fecha as pernas, aproveitando todo o gozo, o corpo vibra num delicioso êxtase
Com minha pica ainda dentro escuto - Pare, não paro - Pare, não paro
Insaciável, continuo te dando muito mais prazer
Não resiste e sucumbe a mais um gozo e de novo e de novo
Como um vulcão, começo a ejacular meu mel
Abro os olhos e você não está
Sonho meu

DEIXE UM COMENTÁRIO
COLUNISTA
Pepperina
Mulher quente, polêmica, sem papas na língua. Adora eventinhos sociais e o politicamente incorreto.
ÚLTIMOS ARTIGOS