Cultura Lazer
02/02/2018 Redação 3ª Feira Cultural de Ceilândia desembarca na Praça do Trabalhador Dia 03 de fevereiro, o projeto realiza mais uma ação na cidade e reúne artistas locais e empreendedores criativos para celebrar a cultura de Ceilândia

A caravana da 3ª Feira Cultural de Ceilândia segue caminho e desembarca na Praça do Trabalhador no próximo dia 03 de fevereiro, sábado, com shows, performances, teatro de mamulengo, roda de capoeira, além de uma feira com produtos de empreendedores criativos da cidade de Ceilândia e food trucks.

A programação começa às 14h com uma roda de capoeira comandada pelo grupo Capoeira Sol Nascente, seguida pela performance do poeta Rêgo Junior. Na sequência a Palhaça Filomena, interpretada pela atriz Marília Abreu, comanda a festa.

A tarde continua com apresentações do grupo Mamulengo Fuzuê, da dupla repentistas Chico de Assis e João Santana e do grupo de forró Caco de Cuia. A poeta local Lilia Diniz abre a noite, seguida pelos grupos Fuzuê Candango, Paraibola e por Marcelo Café, que encerra a programação com o astral do samba rock.

A 3ª Feira Cultural de Ceilândia busca valorizar a diversidade artística e cultural da Ceilândia e o reconhecimento da periferia, abrindo espaço à criatividade e ao talento de seus expoentes e trazendo novas oportunidades de crescimento para a comunidade local e para suas expressões artísticas.

Conheça mais sobre os artistas locais que se apresentam na Praça do Trabalhador:

Capoeira Sol Nascente

Com o sonho de divulgar a cultura afro-brasileira pela Capoeira, foi criada em 1986, a Associação Brasileira de Capoeira Sol Nascente. Desde o início a Associação visa desenvolver um trabalho sócio-cultural-educativo com crianças, adolescentes e

jovens em situação de conflito com a lei, meninos de rua, entre outros. Na Casa da Capoeira, espaço social criado em 2001 na Ceilândia, são ministradas oficinas de capoeira, maculelê, puxada de rede, samba de roda, danças afro-brasileiras, percussão, corte e costura, artesanatos e informática. O espaço é administrado pelo Mestrando Mancha e possui desdobramentos em várias partes da cidade.  Hoje o trabalho atinge cerca de 200 pessoas da comunidade. O grupo de capoeira Sol Nascente desenvolve seus trabalhos no Distrito Federal e em nove estados, totalizando mais de 5 mil alunos que, pela capoeira, desenvolvem o fortalecimento da cidadania e da cultura de origem afrobrasileira.

Rêgo Junior

Poeta e contador de histórias, Rêgo Junior é figura carimbada no cenário poético de Brasília.  Em 2016, lançou seu primeiro livro, intitulado “Zigoto das Palavras”, com poemas de abordagem social e política, além de uma linguagem visual primorosa.  

Mamulengo Fuzuê

Mamulengo Fuzuê é brincadeira aprendida com as tradições, é palhaço na rua, é boneco na tolda, é teatro popular que celebra a arte para despertar a transformação. O grupo surgiu 2007, no Ponto de Cultura Invenção Brasileira, em Taguatinga (DF). Criado pelo brincante Thiago Francisco, o grupo foi contemplado com o prêmio “Mais Cultura: Microprojetos Rio São Francisco” e com o “Prêmio Funarte de Teatro de Rua”. Em 2017, receberam o prêmio de “Melhor Espetáculo de Rua”.

Chico de Assis e João Santana

São 16 anos de dupla. Os repentistas Chico Assis e João Santana acumulam premiações no Brasil e no mundo. Ganhadores do Prêmio Festival Nacional Voa Viola – 2ª Edição, em 2012, na modalidade “Desafio”, também representaram o repente brasileiro no 20º Festival de Romerías de Mayo em Holguín, em Cuba, no ano de 2013. A dupla conquistou ainda diversas vitórias consecutivas em festivais regionais de repentistas. São dois CDs lançados e participação em coletâneas, filmes, programas de TV e peças de teatro. Atuam como arte-comunicadores e instrutores de oficinas e organizam eventos e projetos culturais de mobilização da categoria dos repentistas e cordelistas brasileiros. Chico de Assis participou do 1º CD de repentistas gravado fora do Brasil, no projeto Cantoria na França. João Santana é também músico, compositor e arranjador.

Caco de Cuia

O grupo de forró Caco de Cuia nasceu em 2005 com o objetivo de se aprofundar na cultura popular brasileira, vivenciando os ritmos, as danças e os folguedos. O grupo, vem se destacando no cenário cultural da cidade, ao investir nas tradições e no folclore, resgatando valores e ritmos da cultura nordestina, onde está fincada a verdadeira raiz dos componentes. O grupo busca aprimoramento no trabalho de grandes mestres da  cultura nordestina, como Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, João do Vale, Dominguinhos, Alceu Valença e outros.

Lilia Diniz

Lília Diniz é maranhense, de Tuntum, atriz, escritora, cantora, produtora e brincante. Circula em vários estados brasileiros com espetáculos de Teatro, Música e Poesias.

Seu espetáculo “Miolo de Pote em Cantigas e Versos”  traz poemas e composições musicais que integram seu livro “Miolo de Pote da Cacimba de Beber”. Acompanhada pelos músicos, Rene Bonfim, Maísa Arantes, Kika Brandão e Chiquinho Lopes, Lilia Diniz interpreta ritmos alegres, poemas e histórias versejadas que transportam o público aos interiores do Brasil, ao cenário cotidiano das lavadeiras dos rios brasileiros e aos baques do machado das quebradeiras de coco babaçu, enfim, versões do sertanejo povo brasileiro. Apresentando elementos do universo simbólico sertanejo dos povos do interior do Brasil, das quebradeiras de coco babaçu, dos buritizais, da literatura de cordel, do repente nordestino, do cancioneiro popular, dos emboladores de coco e dos poetas populares, que fazem parte da constituição da identidade do povo do Distrito Federal.

Fuzuê Candango

O grupo Fuzuê Candango desenvolve um trabalho de pesquisa sobre a música regional brasileira e leva esse resultado para os palcos, praças e espaços culturais do Distrito Federal. Com 11 anos de estrada, o grupo já abriu shows de diversos nomes da música regional e popular, como Geraldo Azevedo, Alceu Valença e Décio Marques.

Paraibola

O som da banda Paraibola traz a influência majoritária da cultura nordestina. Com um disco gravado e com merecido destaque no cenário musical da cidade, o Paraibola incorporou-se definitivamente na alma e no imaginário dos amantes do forró. A proposta é mostrar a música nordestina, o xote o xaxado, o xerém, o baião o maxixe e o maracatu, a partir de um repertório próprio, chamado por eles de forró Candango – histórias de Brasília embaladas pelo ritmo nordestino.

Marcelo Café

Marcelo Café é cantor e compositor, nascido em Niterói (RJ) e morador de Ceilândia há mais de 30 anos. Com um trabalho reconhecido, que reflete suas influências musicais e políticas,  Café passeia com leveza pelo Samba e pelo Samba-Rock, sempre discutindo questões de empoderamento de negras e negros e evidenciando nossa brasilidade. Com uma carreira ascendente, foi o vencedor do prêmio “Artista de Samba Mais Acessado do Centro-Oeste”, oferecido pelo site independente Palco MP3 em 2015, e vencedor do “Festival Brasília Independente”, da Rede Globo, em 2016.  Em 2017, foi o grande vencedor do “17º Festival Universitário de Música Candanga” - Finca, promovido pela Universidade de Brasília – UnB.

Programação

14h00 – Capoeira Sol Nascente

14h30 – Poesia com Rêgo Junior

15h00 – Teatro com Marília Abreu (Palhaça Filomena)

16h00 – Grupo de Teatro de Mamulengos Mamulengo Fuzuê

17h00 – Dupla de Repentista Chico de Assis e João Santana

18h00 – Grupo de Forró Caco de Cuia

19h00 – Poeta Lilia Diniz

20h00 – Grupo de Música Regional Fuzuê Candango

21h00 – Grupo de Forró Paraibola

22h00 – Grupo de Samba Marcelo Café

Serviço

3ª Feira Cultural de Ceilândia

Dia 03 de fevereiro na Praça do Trabalhador (QNM 13 Área Especial, Módulo B, Ceilândia - DF)

Horário: 14h00

Entrada Franca

Classificação Livre

DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS