Gastronomia Lugares
00/00/0000 Centro de Lazer Beira Lago apresenta um novo conceito de gastronomia em Brasília
Visão Panorâmica do Centro de Lazer Beira Lago
Visão Panorâmica do Centro de Lazer Beira Lago

O comércio na orla da Ponte JK está consolidado como referência em gastronomia e lazer na capital. Apesar do projeto do Centro de Lazer Beira Lago ter sido lançado no ano de 1992, o local começou a ser mais frequentado a partir de 2008, graças à inauguração do restaurante Mangai.

Em uma localização privilegiada, o Centro de Lazer Beira Lago está próximo à Rodoviária do Plano Piloto e defronte a um dos principais cartões postais da cidade, a Ponte JK. Hoje, o local se destaca pela diversidade de restaurantes temáticos. Juntos, eles geram 300 empregos diretos.

E segundo os próprios comerciantes a região vai ter uma projeção maior em médio prazo, porque grandes empresas e marcas ainda irão se instalar no local. “Isso pode ser constatado pelo fato de todos os 45 lotes já estarem vendidos, sendo que apenas um quarto está em funcionamento”, destaca Luiz Cezar Barreto, sócio diretor da empresa pioneira no setor, a Consult Imobiliária.

\"width=399\"

Além do Centro Cultural Sesc Beira Lago, em breve mais duas atrações vão fortalecer o turismo no local: a construção de um pier e de uma marina. Otimista, Luiz Cezar acredita que em até cinco anos a maioria dos lotesjá deverão estar com seu comércio pronto. “O Centro de Lazer Beira Lago tem a tendência de ser um mix de comércio varejista, ligado à moda, alimentação e cultura”, aponta.

\"width=399\"

HISTÓRICO DO CENTRO

Luiz Cezar informa que o primeiro prédio erguido no local é onde hoje funciona o Bendito Suco Orla, apesar do restaurante Mangai ter sido inaugurado antes.

O proprietário do Bendito Suco, Pedro Parreira, 28 anos, conta como foi o início do empreendimento. Há mais de “Nós, das primeiras casas instaladas, fomos ousados em escolher um ponto por onde não há circulação de pedestres”, lembra. Na época, ele já tinha uma unidade de seu empreendimento na Asa Norte e resolveu investir no local com a proposta de aumentar o cardápio e oferecer atrações musicais e culturais.

\"width=399\"

Pedro destaca que no local ainda prevalece o movimento noturno, mas hoje o Centro de Lazer Beira Lago começa a abrigar esportistas pelo horário da manhã e conta com aluguel de caiaques em sua orla.

Mas o empresário diz que o grande atrativo do local para turistas estrangeiros e brasilienses da classe alta é sua proposta diferenciada. “Os restaurantes daqui investem em um conceito diferente e dispõem de um terraço para realização de eventos”. E acrescenta outra característica dos frequentadores: “Eles planejam sua vinda, como eu havia dito aqui não há passantes”.

Entretanto nem tudo são flores no Beira Lago. Pedro cita que umas das carências do setor é a ausência de tratamento de esgoto, o que obriga os comerciantes pagarem por um caminhão fossa. Outra situação que precisa de planejamento e solução é a falta de vagas para estacionamento. Para atenuar o problema, é usado o serviço de manobristas.

Transporte Coletivo e Paradas de Ônibus

Pedro Parreira ressalta que outro problema que necessita de solução no setor é o transporte coletivo e as poucas paradas de ônibus. Apesar do descontentamento do seu chefe, o gerente do Bendito Suco Williams Lyra, 39 anos, não vê muito problema e conta sua rotina. Morador da Vila Planalto, ele desce em uma parada de ônibus localizada a 200 metros do seu local de trabalho.

Entretanto, reconhece que quem utiliza os ônibus para o Paranoá e São Sebastião precisa contar com a boa vontade dos motoristas que param ao lado da Ponte JK.
Porém, o último ônibus da linha Avenida das Nações Sul é às 20h, o que obriga os comerciantes a contratarem uma van particular para o transporte dos seus funcionários.

Apesar de Williams Lyra considerar o problema contornável, o presidente da Associação dos Comerciantes do Centro de Lazer Beira Lago, Mauro Cezar, concorda com Pedro Parreira. Ele diz que desde 1992, a administração de Brasília atendeu a vários pleitos como asfaltamento e iluminação pública. “Mas ainda carecemos prioritariamente de um sistema de captação de esgoto e de um posto policial no local para ter rondas constantes”, destaca.

À frente de Associação dos Comerciantes local, Mauro Cezar diz trabalhar junto ao governo para sanar problemas que impedem o desenvolvimento da região, como o corte do mato e a morosidade para obtenção de alvarás.

“O governo pode ter nosso setor cultural como pólo gastronômico e de apoio para a Copa das Confederações”, diz Mauro Cezar. Ele adianta que grandes empresas irão se instalar em breve na região, “porém importantes marcas internacionais ainda não decidiram se instalar na orla devido à burocracia para conseguir autorização e dar início aos empreendimentos”.

O administrador em exercício de Brasília, Jean Carmo Barbosa comemora o crescimento da utilização da orla da ponte JK para esporte e lazer. Ele lembra que inauguração do parquinho e da orla no meio de 2011 trouxe as atividades realizadas no Lago e o aumento da utilização da área para o lazer. “Essas ações estão requalificando e aumentando a
frequência de visitantes deste centro gastronômico e que está pronto para receber não só os visitantes dos grandes eventos que estão por vi, como os próprios brasilienses”.

Quanto à reinvidicações da associação dos comerciantes para implantação de uma rede de esgoto, Jean Carmo diz o Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCUB) (PLC 52/2012) já passou pela comissão de assuntos fundiários e agora se encontra em regime de urgência na Câmara Legislativa. “Dentro deste plano há um estudo da Novacap para complementação das redes pluviais e de esgoto na região, bem como as paradas de ônibus”, destaca. Dado o pedido de urgência, Jean acredita que o plano que prevê outras melhorias deve entrar em ação ainda este ano ou no início do ano que vem. Quanto o policiamento, Jean afirma que a tendência na segurança pública é do aumento de rondas e não da instalação de um posto policial.

DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
                  
Baladas Pepper | Pepper | Editoria Baladas Pepper