Destaque Atuais
01/06/2020 Cinco investimentos com potencial de alto retorno no mercado de luxo Como ganhar dinheiro com bolsas, sneakers, joias, arte contemporânea e bebidas

Bolsas-ícone

Quanto mais trabalhada for a peça e mais icônica for a marca, maiores o lances que se pode conseguir. As marcas mais desejadas pelos colecionadores são Hermès, com os modelos Birkin e Kelly, Chanel, com o “básico” modelo 2.55, e a Louis Vuitton, que tem os modelos Pochette Metis e Eva no ranking das mais procuradas. Vale a regra das bebidas, que precisam estar em ótimas condições para valer os milhões do colecionador

Mini Birkin, da Hermès Mini Birkin, da Hermès

Mini Birkin, da Hermès (Christian Vierig/Getty Images)

Sneakers

Há um consenso: os modelos Air Jordan, da Nike, “envelhecem” melhor. Além de serem fáceis de revender nas plataformas dedicadas aos tênis, com valorização superior a 1.000% a dependender do ano, da assinatura e da tiragem, ganharam ainda mais os holofotes com o leilão de um par de 1985 avaliado em US$ 560 mil. O segundo recorde, também da Nike, foi um “moon shoe” de 1972, vendido em 2019 por US$ 437,5 mil

Air Jordan 1, lançamento da Off White-Nike Jordan 1
 
 
 Air Jordan 1, lançamento da Off White-Nike Jordan 1

Air Jordan 1, lançamento da Off White-Nike Jordan 1 (Edward Berthelot//Getty Images)

Joias

Gemas sempre foram investimentos seguros. Um dos maiores lances dados em um bracelete ocorreu em 2019, com a venda pela Sotheby’s de um Cartier de diamantes e safira, datado de 1927, por 31 milhões de francos suíços. Mas olhe com carinho os diamante coloridos, especificamente azuis e rosados. O motivo é simples: as minas, que já eram escassas, podem sumir nos próximos anos. Os amarelos ainda são bons investimentos para a “poupança”. Lembre-se: diamantes são eternos e, como diz a música, os melhores amigos das garotas

Bracelete Art Deco feito pela Cartier em 1927, com 46.07 quilates Bracelete Art Deco feito pela Cartier em 1927, com 46.07 quilates

Bracelete Art Deco feito pela Cartier em 1927, com 46.07 quilates (Tristan Fewings/Getty Images)

Arte contemporânea

De acordo com o último relatório da KFLII, estima-se que o investimento em obras de arte traga retorno de 141% em dez anos. Com a baixa oferta de artistas impressionistas, Picassos e supostos DaVincis, o olhos se voltam para os artistas contemporâneos. Além dos grafites de Bansky e os azulejos de Invader, Jeff Koons está em alta. Ele ganhou, no ano passado, o título de artista vivo mais caro do mundo após seu “Rabbit”, de 1986 e feito em aço inoxidável, ter sido leiloado pela Christie’s por US$ 91 milhões

 
Jeff Koons ao lado de sua escultura Rabbit, em Oxford
 
 Jeff Koons ao lado de sua escultura Rabbit, em Oxford

Jeff Koons ao lado de sua escultura Rabbit, em Oxford (Steve Parsons/PA Images/Getty Images)

Bebidas

Apesar da oferta de vinhos ser maior que a de whiskies raros, ambos registram aumentos anuais em seus preços e, no longo prazo, ganhos na casa dos três dígitos. Bordeaux raros são sempre bem quistos, mas borgonhas, champanhe e rótulos do norte da Itália tiveram aumento expressivo de cerca de 8% em seus valores no ano passado. As vendas da Sotheby’s de garrafas da vínicola Domaine de la Romanée-Conti estabeleceram um recorde após o leilão de uma coleção particular avaliada em US$ 27 milhões.

Vinhos Domaine de la Romanée Conti Vinhos Domaine de la Romanée Conti

Vinhos Domaine de la Romanée Conti (James Andanson/Sygma via Getty Images/Getty Images)

DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
                  
AR YAPUANA | AR YAPUANA | Fármacia de Manipulação Gislaine | Pizza Á Bessa |