Lifestyle Viagens
28/11/2016 Redação Confira as 7 melhores cidades para viajar sozinho
Redação
Redação

Viajar sozinho é uma das experiências mais intensas que uma pessoa pode viver. É possível conhecer novos amigos, descobrir muito sobre si mesmo e até se apaixonar, com a vantagem de poder definir o melhor ritmo, seguir o próprio horário e ter total liberdade para escolher os programas que mais fazem sentido para a jornada.

Pensando em quem quer se aventurar numa viagem solo, selecionamos, com ajuda da momondo, oito destinos que têm muito a oferecer, sem deixar de lado a segurança, uma das coisas mais importantes ao planejar uma viagem assim.

Localizadas em diferentes partes do mundo, as cidades da lista são bastante amigáveis, permitindo que turistas socializem tranquilamente, além de oferecer atividades interessantes para espantar  o tédio e garantir muitas histórias para contar. Confira:

Dublin (Irlanda)

Grafton Street, a famosa rua de compras em Dublin

Créditos: jamegaw/iStock

Grafton Street, a famosa rua de compras em Dublin

Junte uma rica história milenar, uma belíssima arquitetura contemporânea e um dos povos mais amigáveis do mundo. O resultado? Sem dúvidas, a capital irlandesa. Para quem vai sozinho a Dublin, a pedida é realizar excursões guiadas pela cidade, especialmente as visitas das antigas torres de sinos e casas de estilo georgiano, onde figuras históricas como Oscar Wilde e Bram Stoker moraram. O verde, uma das marcas registradas da cidade, também pode ser apreciado no Phoenix Park, que conta com rebanhos de belos cervos selvagens. Para finalizar, conheça os pubs, encontrados praticamente em cada esquina e os locais ideais para encontrar novos amigos.

Havana (Cuba)

Havana receberá voos diretos de Los Angeles pela Alaska Airlines

Créditos: luoman/iStock

Havana receberá voos diretos dos Estados Unidos

Segurança é uma das melhores palavras para definir a cidade. O assunto é tratado com extrema seriedade e você encontrará um grande número de policiais poliglotas e bastante solícitos indicando locais bacanas para beber e jantar. Para quem está sozinho, uma boa ideia é andar a pé pela La Habana Vieja, a Vila Velha da cidade, que mescla seu comércio pitoresco com paisagens de tirar o fôlego. Durante a caminhada, a sugestão é vestir roupas e calçados confortáveis. Sua viagem será completa com um passeio na Malecón Esplanade, que exibe belíssimos carros antigos americanos e as construções coloniais de Havana, que misturam forte decadência com pitadas de intensa vividez.

Toronto (Canadá)

Toronto skyline

Créditos: iStock

A CN Tower, um dos cartões-postais de Toronto

Cosmopolita e vibrante, a capital canadense é um daqueles raros exemplos de centros urbanos que oferecem segurança impecável e um povo extremamente convidativo. Para quem aprecia museus, é um dos melhores lugares do mundo. A Art Gallery of Ontario, o Royal Ontario Museum (ROM) e a Casa Loma, castelo que já foi cenário de filmes, são algumas das opções imperdíveis. Como não poderia deixar de ser, o passeio ao topo da CN Tower é um rito de passagem obrigatório para todo turista que se preze. Para quem não quer se restringir a cidade, é possível se deslocar um pouco e fazer passeios pelas cataratas do Niágara ou visitar regiões produtoras de vinhos.

Thimphu (Butão)

Estátua de Buda em Thimphu, capital do Butão

Créditos: Tarzan9280/iStock

Estátua de Buda em Thimphu, capital do Butão

Se você está realmente decidido a viajar sozinho, por que não usar esse desejo para uma experiência totalmente independente e transformadora no Butão? O País se abriu para turistas internacionais há apenas trinta anos e, por isso, se mantém relativamente intocado pela influência ocidental. Prova disso é a obrigatoriedade imposta pelo estado de que todas as viagens até o destino aconteçam por meio de grupos de turismo pré-aprovados. A oportunidade salta os olhos de quem está só, já que oferece a possibilidade de passeios bastante exóticos ao lado de outros viajantes. A visita aos monastérios é imperdível.

Juneau (Alaska)

Vista da geleira Mendenhall, em Juneau, Alasca (EUA)

Créditos: fon_thachakul/iStock

Vista da geleira Mendenhall, em Juneau, Alasca (EUA)

Segundo dados oficiais, dos dois milhões de turistas que visitam o Alaska por ano, 20% deles viajam sozinhos. Afinal, existe melhor lugar para se desligar do resto do mundo do que a terra das geleiras? Passeios de barco, canoagem e excursões fotográficas são algumas das atividades essenciais para o viajante independente. Obviamente, a grande atração do lugar é a natureza. Por isso, se perca na observação da belíssima vida animal, como golfinhos e baleia que, sem dúvidas, encantam.

Queenstown (Nova Zelândia)

Cerejeiras em parque de Queenstown, na Nova Zelândia

Créditos: Divulgação/Tourism New Zealand

Cerejeiras em parque de Queenstown, na Nova Zelândia

O verdadeiro reino dos esportistas. A cidade ganhou o apelido de “capital mundial da aventura” por atrair milhares de pessoas com uma série de atividades, como rafting, paraquedismo e bungee jumping. Tida pelo Fórum Econômico Mundial como um dos locais mais amigáveis com estrangeiros, vai ser difícil não ser recepcionado com um largo sorriso pelos locais. O destino também pode ser apreciado para aqueles que só pretendem relaxar. Uma sugestão é visitar um dos belíssimos spas da região.

Gotemburgo (Suécia)

Vista de Gotemburgo no outono

Créditos: Martin Wahlborg/iStock

Vista de Gotemburgo no outono

Com preços mais camaradas do que a capital sueca Estocolmo, o destino é a opção ideal para quem quer se perder na beleza escandinava. O Jardim Botânico da cidade é um dos centros mais floridos em toda a Europa e parada obrigatório no roteiro. Para quem está sozinho, a melhor opção é embarcar no cruzeiro Paddan Boat Tour que passa pelos canais do século 17 e sob vinte pontes no coração de Gotemburgo. Passeando a pé pela região, é possível notar o talento em design local nas pequenas boutiques e no The Röhsska Museum, centro líder mundial de moda e artes aplicadas.

 

Via: Catraca Livre

DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS