Cultura Diversão e Arte
00/00/0000 Criolina comemora 10 anos com show dos americanos Hypnoctic Brass Ensemble

Em 2015 o coletivo Criolina completa 10 anos de atividades, com um histórico de pura entrega e dedicação a uma paixão especial: a música. Então agora chegou a hora de comemorar em grande estilo.


No dia 16 de maio, uma grande festa está sendo preparada para acontecer no Clube ASBAC, trazendo para Brasília um dos maiores nomes do jazz-funk mundial, a família Hypnotic Brass Ensemble, diretamente de Chicago, Estados Unidos.
Além deles, o evento apresentará um dos destaques dos palcos brasilienses nos últim

os meses, o power trio Muntchako, que por onde passa envolve o público com seu som instrumental cheio de energia e suíngue.
Para dar um tempero tropical, os DJs e produtores musicais Patricktor4 (SE), Mam (RJ) e Sankoffa (Ghana), simbolizando as conexões entre o Criolina e a música contemporânea nordestina, latina, caribenha e africana.


E como não poderia deixar de acontecer numa data especial como esta, um mega encontro de vários DJs de Brasília que fizeram parte da história das festas Criolina, com os anfitriões Barata, Pezão e Ops (virtual de Lisboa) recebendo os DJs Nagô, Emídio, Wash, Tales (virtual de Barcelona), Chicco Aquino, Hugo Drop, Rud Boing, Pequi, Barki, Maraskin, entre vários outros.


A começar pelo show principal da noite. Quando o Hypnotic Brass Ensemble sobe ao palco, percebe-se que a energia e a pulsação vêm do sangue: os oito músicos de frente são todos irmãos. Filhos de Phil Cohran, trompetista afro-americano eternizado pelo seu trabalho \"Sun- Ra\" em 1960.


Do subúrbio de Chicago para as ruas de Nova York, os \"brothas\" foram apadrinhados pelo astro do rap MOS DEF, que os encaminhou para os palcos dos maiores festivais de jazz e hip hop do mundo.


No histórico da banda, as constantes turnês foram intercaladas por gravações com Snoop Doggy Dog, Gorillaz, Ghostface, Wu Tang Clan, Tony Allen, entre trilhas para filmes de hollywood e várias outras parcerias.
Agora é a vez de Brasília se surpreender com os “Bad Boys of Jazz”, em uma festa que vai marcar o início de mais uma década de festas, shows e novos projetos do coletivo Criolina.

 

+ sobre 10 anos de Criolina:

Desde 2005, o coletivo de DJs, produtores e designers Criolina promove diversão e cultura, com atividades que já rodaram o Brasil e o mundo. À frente do projeto, Rodrigo Barata, Tiago Pezão e Rafael Ops fazem mais do que animar os palcos e as pistas, com uma variedadede de projetos de movimentação cultural.
A festa Criolina criou a noite de segunda­-feira mais tradicional do país. Um projeto que entrou na história da vida noturna de Brasília, tendo como casa o Bar do Calaf, no centro da cidade. Até 2014, os inúmeros DJs e bandas independentes nacionais e internacionais que se apresentavam marcaram a memória afetiva do brasiliense com os clássicos, raridades e novidades da música brasileira, world music e black music. As segundas-feiras no Bar do Calaf foram a base para que inúmeras ações do coletivo Criolina se desdobrassem fora dali e também serviu de inspiração para que outros artistas e produtores desenvolvessem projetos importantes dentro e fora do plano piloto.
“Há um ano decidimos circular com nossos eventos em outras casas e palcos da cidade, buscando dar mais respiro entre os eventos e ao mesmo tempo poder trabalhar com uma maior variedade de temas”.
“Apesar de ser difícil fazer cultura sem patrocínio, a grande maioria das nossas iniciativas são totalemente independentes.”
Além das festas e shows que o Criolina promove, algumas outras atividades do grupo vem se destacando, como:

• o bloco de carnaval Aparelhinho - um carrinho de som empurrado pelos DJs, que neste ano arrastou 10.000 pessoas pelas praças de Brasília

• o programa na Rádio Nacional FM, que apresenta todo sábado as novidades e lançamentos da música brasileira contemporânea

• a banda Sistema Criolina, que emplacou o hit Chove no Eixinho Mas Não Chove no Eixão. Em 2013, teve seu disco autoral posicionado no ranking dos 100 melhores do ano pelo site embrulhador.com, um dos mais respeitados pela crítica musical na atualidade. Em seguida fez turnê na Austrália e em 2015 se apresentou no festival Porto Musical, a maior vitrine da “world music” no Brasil.

• os remixes feitos pelo DJ Ops, responsável pela produção musical do coletivo, que reside atualmente em Lisboa, onde vem se destacando em toda a cena global betas da europa.

• os DJs Criolina, sempre presentes na noite brasiliense, que carregam a experiência de doze turnês internacionais pela Europa, América do Sul e Oceania, além de já terem rodado por grande parte do território nacional.

• o projeto Palco Criolina, que periodicamente traz para Brasília os shows que são destaque na música brasileira contemporânea

• o programa de youtube Sala Criolina, que entrevistou vários artistas nacionais que se apresentaram nos eventos do coletivo, conversando sobre o mercado da música e criatividade

• o evento Criolina Champagne, que se tornou uma legítima ocupação de espaço público em vários pontos da cidade, promovendo o encontro do público e personalidades culturais.

• o Cena Criolina, um mini-festival de música que intgra o festival internacional de teatro Cena Contemporânea, desde 2007, aberto em praça pública

• as Oficinas Criolina de Bagunça Produtiva, que vem se tornando um dos principais focos de desenvolvimento do coletivo, compartilhando conhecimento do fazer cultural com os jovens.

• o Acervo Criolina, com 5.000 discos de vinil catalogados, que conectam a história da música brasileira, africana, latina, caribenha e norte americana.

• as inúmeras outras parcerias em festas e festivais de rua, além de trilhas sonoras para cinema e publicidade, design gráfico, articulação cultural, oficinas educativas e outros eventos.

Ao longo desses 10 anos, o coletivo Criolina interfere diretamente na vida cultural de Brasília, movimentando a economia criativa e sempre buscando o o diálogo entre cultura e entretenimento.

+ números do Criolina

• 490 edições semanais da festa Criolina no Bar do Calaf

• 72 edições espalhadas em outros espaços em Brasília

• 128 bandas locais, nacionais e internacionais passaram pelo palco das festas Criolina

• 230 DJs locais, nacionais e internacionais discotecaram nas festas Criolina

• 38 edições da festa Criolina em outras cidades brasileiras

• 18 países visitados pelos DJs Criolina em turnês internacionais

• 3 anos de residência da festa Criolina em São Paulo.

• 1 projeto patrocinado.

+ sobre a banda Hypnotic Brass Ensemble:

Quando Hypnotic Brass Ensemble sobe ao palco, o som soa realmente diferente, energético, com a mesma respiração e pulsação. Isso porque é uma conexão familiar: os oito músicos de frente são todos irmãos. Filhos de Phil Cohran, o trompetista afroamericano eternizado por seu trabalho “Sun Ra”em 1960.
Os meninos cresceram juntos, no sul de Chicago Estados Unidos, sob regime de estudos musicais diários e uma ideologia afro forte e independente. Os “Brothas” aventuraram-se nas ruas e metrôs de Nova-Iorque até que em um encontro casual com Mos Def, raper americano, os levou ao famoso palco de jazz do Lincoln Center. Após o memorável show a banda conquistou os palcos do mundo, participando dos principais festivais de Jazz e Hip-hp no cinco continentes
Com destaque para a gravação da trilha sonora do filme “Hunger games 1 e 2 “ no Brasil, Jogos Vorazes, gravação do album “Plastic Beach”com Gorillaz- Damon Albarn, gravação com Mos Def e Ghostface Killah do “Wu Tang Clan”e Tonny Allen, o lendário baterista pai do Afrobeat.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
                  
Celular 2018 | AV COMUNICAÇÃO | DETRAN - Celular 2018
evden eve nakliyat evden eve nakliyat fiyatları şehirlerarası evden eve nakliyat