Gastronomia Degustação
25/01/2019 DICA BOA É DICA COMPARTILHADA Confira dicas de onde apreciar comidas feitas em parrilla
"Confira dicas de onde apreciar comidas feitas em parrilla A tradicional grelha de origem uruguaia e argentina conquistou o coração dos brasilienses. A versatilidade da ferramenta permite o preparo de inúmeros pratos: das carnes aos legumes. Confira!"
O abacaxi na parrilla, do Mandaka, pode ser servido como sobremesa ou acompanhamento (Vinicius Cardoso Vieira/Esp. CB/D.A Press)
O abacaxi na parrilla, do Mandaka, pode ser servido como sobremesa ou acompanhamento
Instrumento tradicional da gastronomia uruguaia e argentina, a parrilla conquistou diversos restaurantes brasileiros. A grelha com canaletas levemente inclinadas é utilizada principalmente para o preparo de carnes. Essa ferramenta permite que os ingredientes sejam assados com a queima de brasa, dando um sabor bastante característico aos pratos.
 
Entretanto, por ser extremamente versátil, a parrilla deixou de aparecer apenas em churrascos. Atualmente, são inúmeras as possibilidades de receitas: desde outros tipos de carnes, como peixes e frangos, até legumes e frutas.
 
 
 
No restaurante Mandaka, em Taguatinga, a especialidade é a carne de sol. “É preciso ter cuidado para que as carnes não fiquem ressecadas. É aquele padrão que vem do Uruguai e da Argentina, e tomou conta do Brasil”, conta Thiago Lucena, proprietário da casa. Além das carnes, a casa prepara opções como abacaxi, queijos coalho e do sertão, linguiças e legumes.
 
Outro sucesso nas parrillas de Brasília são os peixes. No restaurante Figueira da Villa, um dos destaques é o bacalhau, marinado no azeite e assado com legumes. No Serra Gaúcha, o filé de salmão grelhado pode ser uma alternativa mais saudável.
 
Quem se interessa por carne branca também pode investir no frango: no restaurante Toro, o tipo de carne aparece em diversas receitas no cardápio. Não para por aí: até os hambúrgueres podem ser feitos nessa espécie de prima estrangeira da churrasqueira. O Parrilla Burger, na Asa Sul, é especializado no preparo.
 
*Estagiárias sob supervisão de Vinicius Nader
 

Gostoso e saudável

 

O filé de salmão servido na Serra Gaúcha é uma opção mais nutritiva (Henrique Ferreira/Divulgação)
O filé de salmão servido na Serra Gaúcha é uma opção mais nutritiva
 
 
O Serra Gaúcha Parrilla & Galetos reúne a tradição culinária do sul do país em pratos deliciosos. Um dos carros chefes é o rodízio de galeto (R$ 44,90 no almoço, todos os dias; R$ 39,90 no jantar, de quarta a domingo) acompanhado de arroz, farofa de ovo, maionese, talharim ao sugo, polenta frita e salada.
 
Para quem prefere aproveitar a refeição com carne na parrilla, a casa oferece opções como bife ancho (R$ 54,90), picanha gaúcha (R$ 49), fraldinha (R$ 99,90), chuleta bovina (R$ 54,90) e bife de chorizo (R$ 54,90). Vale destacar, ainda, o salmão assado na parrilla (R$ 49,90 — individual; R$ 89,90  — duas pessoas).
 
“Temperamos apenas com sal grosso e a fumaça dá aquela defumada nele. O peixe preparado no forno e o preparado na brasa têm sabores diferentes”, descreve o proprietário Dionísio Massini. 
 
Para acompanhar o pescado, é possível escolher dois acompanhamentos entre feijão tropeiro, polenta frita, talharim ao alho e óleo, farofa de ovos e muitos outros. “Com o salmão, os acompanhamentos mais pedidos são o arroz com brócolis e a salada verde. Eles combinam com a proteína e são uma opção mais saudável”, explica Dionísio.
 

Dupla bem brasileira

 
O pirarucu recebe a companhia do palmito pupunha no Pobre Juan: dobradinha amazônica (Wallace Martins/Esp. CB/D.A Press)
O pirarucu recebe a companhia do palmito pupunha no Pobre Juan: dobradinha amazônica
 
 
Inspirado nas casas de carnes conceituadas da Argentina, o Pobre Juan prioriza cortes nobres e usa uma parrilla premium. Espalhado em várias cidades do país, oferece opções variadas na parrilla, além de saladas, entradas e sobremesas.
 
“É importante que a carne esteja no padrão de qualidade, a grelha – sempre com higiene adequada – e o tempero especial da carne”, explica o mestre sommelier Creumier Silva sobre o padrão de qualidade da casa.
 
“Um prato que merece ser ressaltado é o nosso pirarucu”, destaca Creumier. Sucesso com os clientes da casa, a escolha do mestre sommelier foge da usual carne na parrilla. O pescado é acompanhado por talharim de palmito pupunha com toque de limão siciliano na manteiga de sálvia (R$ 93,90).
 
Entre os pratos mais pedidos, estão o Gran chorizo (R$ 234,90) e o Gran ojo del bife (R$ 234,90). Os dois cortes nobres servem de duas a três pessoas e são pedidos com acompanhamentos inclusos, como as especialidades da casa batata souflé, arroz biro biro (com linguiça, salsinha, ovos picados, cebola e batata palha), panelinha de vegetais e a farofa de ovos.
 

Alternativa inusitada

 
Polvo na parrilla %u2014 porque não? (Rafael Lobo Zoltar/Divulgação)
Polvo na parrilla %u2014 porque não?
 
 
Quem pensa que pescados e frutos do mar não combinam com a parrilla se engana. O tradicional restaurante argentino Otro Parrilla tem um cardápio extenso: “Oferecemos  uma experiência completa, temos abundantes opções de entradas, saladas e acompanhamentos como polenta frita, batatas especiais e farofa de ovos, a sensação da casa”, explica o proprietário Leandro Pompeo.
 
Uma opção que foge do padrão é o pulpo a la parrilla (R$ 149). Temperado com alho, salsinha, azeite e sal,  o polvo pode ser uma boa pedida para quem gosta de ousar. “Derrete na boca, é uma experiência sensacional”, afirma Leandro. “Tudo feito pelo Manoel, nosso parrilleiro há 23 anos”, completa.
 
A casa conta também com uma adega com mais de 200 rótulos de vinhos para serem harmonizados com os pratos. Em frente ao Lago Paranoá, o lugar tem mais de dez anos de experiência e atuação, além de qualidade e excelência reconhecidos. Alto nível gastronômico com atendimento de primeira é o lema da casa: “Tudo preparado com excelência”, ressalta Leandro.
 

Entrada diferenciada

 
O palmito de pupunha do Caminito Parrilla é feito na brasa e servido com manteiga de ervas (Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
O palmito de pupunha do Caminito Parrilla é feito na brasa e servido com manteiga de ervas
 
 
O menu do restaurante Caminito Parrilla está recheado de opções que fogem do convencional. O palmito de pupunha assado na grelha (R$ 44,90) foi implementado há poucos meses no cardápio do restaurante, mas já faz sucesso. A iguaria pode ser servida como entrada ou acompanhamento.
 
“Pupunha é a opção ecológica para o antigo palmito. Ela é orgânica, uma produção visando o ecossistema e a sustentabilidade”, explica Paula Labaki, chef do restaurante. A iguaria é cozida na brasa, e servida com manteiga de ervas, feita na casa. “É um prato que acompanha muito bem as carnes”, ressalta Paula.
 
Outro prato de sucesso preparado na parrilla do Caminito são os legumes na brasa (R$ 19,90, pequeno; R$ 37,90, grande). A receita consiste em uma seleção de legumes da estação, grelhados na parrilla e servidos com o pesto de ervas da casa.
 

Simples e saboroso

 
O frango preparado na parrilla é um dos sucessos do Toro (João Teles/Divulgação)
O frango preparado na parrilla é um dos sucessos do Toro
 
Apesar de ser focado em carnes vermelhas, o menu do restaurante Toro Parrilla também conta com peixes (como salmão e tilápia) e aves. Uma das alternativas é o pollo Palermo Soho, um frango grelhado (R$ 62).
 
“Fazemos um marinado de ervas especiais, vinho branco, sal e caldo de galinha. Deixamos marinando por 48 horas”, conta Alexsandro Panta, um dos chefs da casa. Ele afirma que, depois de permanecer por dois dias no molho, o frango é embalado a vácuo e assado diretamente na parrilla.
 
“A gente tem que dourar bastante o couro do frango. Deixamos em média por 10 minutos na grelha, em fogo médio, para não queimar. Ele não fica muito tempo na parrilla para não ficar ressecado”, explica o chef. 
 
Ele conta que o frango é servido em uma porção de 550g e normalmente é pedido com saladas.
 

Clássico nobre

 
Além da boutique de carnes, a Brace abriga restaurante (Fernando Pires/Divulgação)
Além da boutique de carnes, a Brace abriga restaurante
 
 
Para os amantes de cortes nobres, o Brace Carnes é uma boa parada. “Além de um restaurante, também oferecemos uma boutique com diversas opções de carnes nobres e uma adega selecionada de vinhos Del Maipo”, detalha o proprietário da casa, Gustavo Bomtempo.
 
O cardápio é composto por pratos executivos de segunda a sexta. É possível escolher um corte do dia (R$ 44,90) e dois acompanhamentos, como creme de espinafre, feijão tropeiro, diferentes variedades de arroz, parrillada de legumes, purê de abóbora cabotiá e vários outros.
 
Cada dia também tem uma sobremesa do dia incluída. “É uma opção mais econômica do cardápio”, explica Gustavo.
 
Entre os cortes nobres, está o Short ribs (R$ 59 — 700g). Retirado de uma parte especial do acém, o prato é definido como muito marmorizado e com sabor especial. “A queima do carvão separada do alimento é o maior benefício da parrilla”, diz Gustavo. 
 
“O resultado dessa queima com as brasas é uma carne que não fica defumada e possui um sabor muito característico. Esse isolamento, a falta de contacto com a fumaça e o fogo direto atribuem à carne um sabor mais autêntico com menos interferências”, continua.
 

Longe do óbvio

 
No Figueira da Villa, o bacalhau é assado na parrilla, com legumes
 (Vinicius Cardoso Vieira/Esp. CB/D.A Press)
No Figueira da Villa, o bacalhau é assado na parrilla, com legumes
 
 
Com toques da gastronomia uruguaia, o restaurante Figueira da Villa utiliza a parrilla como instrumento essencial nos preparos do menu. No cardápio, estão os mais variados cortes de carne, como T-bone, costela nobre, carré de cordeiro e fraldinha. Entretanto, a casa também investe em opções diferenciadas, para os que não se interessam por carne vermelha ou preferem fugir do convencional. Esse é o caso do bacalhau assado na parrilla com legumes (R$ 125).
 
“Durante o processo, nosso bacalhau fica coberto no azeite entre 15 e 20 minutos”, conta Valdir Neves, proprietário da casa. 
 
Ele explica que, depois de marinar, o bacalhau é assado diretamente na brasa. Enquanto permanece na parrilla, o peixe recebe mais azeite: “A gente irriga o bacalhau enquanto ele está sendo assado, para não ficar ressecado”, ressalta Valdir.
 
Além disso, a receita recebe legumes, também preparados na parrilla. “O bacalhau é servido com alho assado, batata, cebola, abobrinha e pimentão”, conta Valdir. Além dos 500g de peixe e dos legumes, a receita é acompanhada por uma porção de arroz com brócolis.
 

Receita nordestina

 
O abacaxi na parrilla, do Mandaka, pode ser servido como sobremesa ou acompanhamento (Vinicius Cardoso Vieira/Esp. CB/D.A Press)
O abacaxi na parrilla, do Mandaka, pode ser servido como sobremesa ou acompanhamento
 
 
O tempero e a cultura nordestina definem o conceito do restaurante Mandaka. O foco do menu são as carnes, e a estrela entre as opções é a carne de sol. 
 
“A maioria dos restaurantes nordestinos trabalha com carne de sol fatiada. Isso me incomodava muito, porque, dessa forma, ela esfria muito rápido e fica seca, não fica suculenta”, conta Thiago Lucena, proprietário da casa.
 
Decidido a oferecer uma carne de sol saborosa, o profissional e a equipe desenvolveram um steak de carne de sol assado na parrilla (R$ 39 —  350g de carne). 
 
“A brasa fica cerca de 10cm de distância da carne, numa temperatura altíssima. Podemos deixar ela no ponto que o cliente quiser”, explica Thiago. O proprietário conta que a crosta da carne é assada dos dois lados, e o meio não fica ressecado.
 
Além disso, um dos acompanhamentos de sucesso servido na casa são as rodelas de abacaxi preparadas na parrilla (R$ 14). “Muita gente pede como sobremesa, mas pode ser servido como acompanhamento”, afirma Thiago. A fruta fica com uma crosta assada e adocicada.
 

Amantes de hambúrguer

 
Os hambúrgueres do Parrilla Burguer são envoltos em óleo de milho antes de irem à grelha
 (Minervino Junior/CB/D.A Press)
Os hambúrgueres do Parrilla Burguer são envoltos em óleo de milho antes de irem à grelha
 
 
Hambúrguer e parrilla formam uma combinação de sucesso. O menu do Parrilla Burger é totalmente formado por diversas alternativas da iguaria preparada na grelha. Gil Guimarães, proprietário da casa, conta que um dos maiores sucessos do cardápio é o Raclette burger (R$ 31, no happy hour, diariamente, até as 20h; R$ 36, fora do happy hour).
 
“A gente faz o pão na casa, diariamente, com farinha importada. O nosso blend Hereford é importado no Rio Grande do Sul. A gente mói aqui, diariamente, e o fazemos grelhado na parrilla, com carvão”, conta Gil. Ele explica que a grelha da casa é de ferro fundido e, para o preparo dos hambúrgueres, atinge cerca de 700 graus. Além disso, ele conta: “Antes de colocar na grelha, lambuzamos o hambúrguer com óleo de milho”. O Raclette burger conta com 180g de carne.
 
Entretanto, a grande estrela do prato é o queijo. “É um queijo suíço muito saboroso. Ele derrete bem. É super gostoso e poucos lugares em Brasília têm. Por isso, foi um sucesso estrondoso na loja”, ressalta Gil. A receita leva 140g de queijo, fornecido do interior de Minas Gerais e de Goiás.
 

Onde comer

 
Brace Carnes —  Cortes especiais 
(404 Sul, Bl. A, lj. 33 - 3223-7414), aberto na segunda, das 9h às 15h; de terça a quinta, das 9h às 23h, de sexta a sábado, das 9h à 0h e no domingo, das 9h às 17h.
 
Caminito Parrilla 
(SIG, Qd. 8, lt 2375; 3028-1090), aberto de segunda a quinta, das 12h às 15h e das 18h às 23h, sexta e sábado, das 12h às 23h45, e domingo, das 12h às 22h.
 
Figueira da Villa 
(Vila Planalto Acampamento DFL, Rua 1, Lote 2;  3081-0541), aberto de segunda a sábado, das 12h à 0h, e domingo, das 12h às 17h.
 
Mandaka 
(QSD 23 Lote 2, Pistão Sul, Taguatinga; 3967-6060), aberto de segunda a quinta, das 16h à 0h, e sexta, sábado, domingo e feriado, das 11h à 1h.
 
Otro Parrilla 
(SCES Tc. 2, lt. 40 - 3345-1348), aberto de segunda a quinta, das 18h à 0h; de sexta a sábado, das 12h à 0h30 e no domingo, das 12h às 19h.
 
Parrilla Burger 
(408 Sul, Bl. D, lj 1; 3443-0698), aberto de segunda a quarta, das 18h à 0h, quinta e sexta, das 18h à 0h30, sábado, das 12h às 16h e das 18h à 0h30, e domingo, das 12h às 16h e das 18h às 23h20.
 
Pobre Juan 
(SHIN CA 4, lt. A, Shopping Iguatemi Brasília), aberto de segunda a quinta, das 12h às 15h e das 19h às 23h; na sexta, das 12h às 15h e das 19h à 0h; no sábado, das 12h à 0h; no domingo, das 12h às 22h.
 
Serra Gaúcha Parrilla & Galetos
(QS3 lt. 19, lj. 1, Pistão Sul, Taguatinga - 3352-5353), aberto de segunda a terça, das 11h30 às 15h; de quarta a sexta, das 11h30 às 15h e das 19h às 23h; no sábado, das 11h30 às 16h e das 19h às 23h; domingo, das 11h30 às 16h.
 
Toro Parrilla 
(104 Sul, Bl. C, lj 29; 3225-0494), aberto de segunda a quarta, das 12h às 15h e das 19h às 22h30, de quinta a sábado, das 12h às 16h e das 19h à 0h, e domingo, das 12h às 17h.
DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
                  
Baladas Pepper | Pepper | Editoria Baladas Pepper