Destaque Mundo
16/01/2019 VIX Eclipse lunar do dia 21 de janeiro: como e de onde ver O eclipse da Lua, ou seja, o momento em que ela desaparecerá na sombra da Terra, poderá ser visto de todo o Brasil na madrugada de 20 para 21 de janeiro.
VIX
VIX
"Na verdade, quem olhar para o céu também verá mais coisa acontecendo: além de a primeira Lua cheia de janeiro ser denominada "Lua de lobo" - por conta de tradições norte-americanas -, ela estará mais próxima da Terra, o que fará com que ela aparente estar maior e mais brilhante, e ficará avermelhada ao se projetar na sobra da Terra. Por todos esses motivos, ela é chamada de "Superlua de sangue de lobo"."

Quando começa o fenômeno?

De acordo com o Observatório Nacional brasileiro, o eclipse da Lua terá início às 0h37, horário de Brasília. Mas, a princípio, não será possível ver a olho nu a mudança: a Lua ficará menos brilhante, o que se dá o nome de "eclipse penumbral". Pelos 57 minutos seguintes, a lua começará a escurecer.

Até chegar à 1h34, quando se dá início ao eclipse parcial (a Lua começa a ficar com um pontinho escuro e irá escurecer cada vez mais).

Eclipse total

via GIPHY

O eclipse total começará às 2h41, e é aí que o espetáculo nos céus acontece de fato: a Lua de Sangue entra em cena, e o satélite natural tem cor avermelhada durante toda essa fase do eclipse total.

De acordo com a Nasa, será 1 hora e 2 minutos de cobertura total do satélite. Ou seja, até as 3h43 a Lua vermelha ainda poderá ser vista.

O Observatório Nacional explica que, até as 4h51, a Lua voltará a ficar cada vez mais iluminada, voltando à fase de eclipse parcial. O eclipse penumbral terminará às 5h48.

Horários para ver o eclipse lunar no Brasil

Por conta dos fusos horários e horário de verão, haverá diferença no relógio para aqueles que quiserem ver o eclipse lunar, dependendo de onde estiver no País.

Veja como será, com base nas informações do Observatório Nacional, para as regiões que estão e que não estão no fuso de Brasília:

Hora Legal de Brasília (com horário de verão: fuso -2 horas)

Goiás, Brasília, Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Ilhas Arquipélago de São Pedro e São Paulo, Atol das Rocas, Fernando de Noronha, Martin Vaz e Trindade:

  • Início do eclipse penumbral: 0h37 de 21 de janeiro
  • Início do eclipse parcial: 1h34 de 21 de janeiro
  • Início do eclipse total: 2h41 de 21 de janeiro
  • Fim do eclipse total: 3h43 de 21 de janeiro
  • Fim do eclipse parcial: 4h51 de 21 de janeiro
  • Fim do eclipse penumbral: 5h48 de 21 de janeiro

Fuso de - 3 horas

Pará, Amapá, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia:

  • Início do eclipse penumbral: 23h37 de 20 de janeiro
  • Início do eclipse parcial: 0h34 de 21 de janeiro
  • Início do eclipse total: 1h41 de 21 de janeiro
  • Fim do eclipse total: 2h43 de 21 de janeiro
  • Fim do eclipse parcial: 3h51 de 21 de janeiro
  • Fim do eclipse penumbral: 4h48 de 21 de janeiro

Fuso de - 4 horas

Amazonas, Roraima e Rondônia:

  • Início do eclipse penumbral: 22h37 de 20 de janeiro
  • Início do eclipse parcial: 23h34 de 20 de janeiro
  • Início do eclipse total: 0h41 de 21 de janeiro
  • Fim do eclipse total: 1h43 de 21 de janeiro
  • Fim do eclipse parcial: 2h51 de 21 de janeiro
  • Fim do eclipse penumbral: 3h48 de 21 de janeiro

Fuso de - 5 horas

Amazonas (extremo oeste) e Acre:

  • Início do eclipse penumbral: 21h37 de 20 de janeiro
  • Início do eclipse parcial: 22h34 de 20 de janeiro
  • Início do eclipse total: 23h41 de 20 de janeiro
  • Fim do eclipse total: 0h43 de 21 de janeiro
  • Fim do eclipse parcial: 1h51 de 21 de janeiro
  • Fim do eclipse penumbral: 2h48 de 21 de janeiro

Como foi feito o cálculo: com o horário de verão, o fuso de Brasília passa a ser -2. Para quem está no fuso de -3 horas, basta subtrair uma hora, para quem está no fuso de -4, basta subtrair 2 horas e para quem está no fuso de -5 basta subtrair 3 horas. Confira aqui a relação dos horários do eclipse em todo o Brasil.

Por que Superlua?

A Lua não orbita em um círculo certinho, ora ela está mais distante da elipse, o que é chamado de apogeu (a cerca de 405.500 km da Terra, em média), ora fica mais perto da Terra (mais ou menos 363.300 km, em média), o que é chamado de perigeu.

Pois bem, às 18 horas, horário de Brasília, do dia 21 de janeiro, a Lua estará no perigeu. Assim, a Lua cheia da madrugada estará um pouco maior e mais brilhante — daí vem o nome Superlua.

Por que "de Sangue"?

Por causa da atmosfera da Terra. A coloração é resultado da interposição da Terra entre a Lua e Sol. A Lua atravessará, então, a região de sombra que a Terra projeta no espaço ("abrigada" da luz do Sol), resultando na tonalidade.

"Podemos ver a luz vermelha durante um eclipse quando ela cai na Lua na sombra da Terra. Este mesmo efeito é que dá ao nascer e ao pôr-do-sol uma cor laranja avermelhada", explica a Nasa.

Por que "de lobo"?

LUA LOBO

O fato de ser "de lobo" vem de uma lenda: os nativos norte-americanos (onde é inverno), acreditavam que os lobos uivavam em direção à primeira lua cheia do ano.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
                  
Baladas Pepper | Pepper | Editoria Baladas Pepper