Destaque Curiosidades
03/04/2018 Redação Maconha sintética causa sangramento pelos olhos e ouvidos O estado de Illinois registrou 38 casos de usuários com sangramento em olhos, narizes, boca e ouvidos após consumirem a droga sintética – vendida legalmente

Maconhas sintéticas podem ser compradas legalmente em farmácias dos EUA e prometem causar o mesmo efeito da erva natural. Funciona assim: canabinoides feitos artificialmente, em laboratório, são pulverizados sobre uma base – alguma erva inócua – que pode ser ingerida ou fumada. A ideia pegou, mas a onda deu errado. Muito errado.

Em pouco mais de três semanas, o Departamento de Saúde Pública do estado americano de Illinois (IDPH) relatou 38 casos de pessoas com sangramentos severos nos olhos, ouvidos, narizes e gengivas após consumirem a droga sintética. Alguns pacientes também vomitaram e urinaram sangue. Em um dos casos, o usuário faleceu.

Com o governo federal e estadual tentando proibir alguns ingredientes usados nessas drogas recreativas, os fabricantes seguem criando novas fórmulas e soltando no mercado. O resultado são alguns produtos mais perigosos do que as substâncias ilegais. Ao analisar o sangue de alguns pacientes, por exemplo, o IDPH detectou traços de brodifacoum, composto encontrado em veneno de rato.

Em comunicado, o IDPH alertou que a droga pode “afetar o cérebro de forma muito mais poderosa que a maconha e seus efeitos podem ser inesperados”. A instituição aproveitou para alertar médicos legistas, escolas e hospitais dos EUA para que permaneçam atentos a mais casos.

Ainda não há uma explicação para os sangramentos. Especula-se que algo na droga se comporta um anticoagulante bloqueando os efeitos da vitamina K no organismo, o que torna o sangue mais fino. Todas as farmácias receberam a recomendação de estocar seus suprimentos de vitamina K para o caso de emergência.

A maconha sintética é parte de um leque de drogas chamadas de “novas substâncias psicoativas” que se vendem como uma opção dentro da lei para as drogas ilegais. Por enquanto, ainda é possível encontrar as substâncias nas prateleiras de mercados nos EUA.

 

Por: Superinteressante

DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS