Cultura Agenda
19/05/2016 Redação Matheus Nachtergaele apresenta “Processo de Conscerto do Desejo” em Brasília

O ator Matheus Nachtergaele chega a Brasília com a montagem Processo de Conscerto do Desejo”, nos dias 3 a 5 de junho (6a feira a domingo), no Teatro Funarte Plínio Marcos. Escrito com ‘S’ e ‘C’ mesmo, em uma junção das palavras conserto e concerto, o ator declama os poemas da mãe em primeira pessoa e, acompanhado pelos músicos Luã Belik(violão) e Henrique Rohrmann (violino), relembra algumas das músicas de que ela gostava. “Quero consertar meu desejo com poesia, num concerto”, explica. 

O espetáculo que nasceu a partir de uma leitura dos poemas de Maria Cecília no Festival de Teatro de Ouro Preto e Mariana, em julho de 2015, vem conquistando plateias por onde passa, como no último sábado (14/05), quando o ator foi aclamado em duas sessões realizadas na Igreja da Matriz, no festival Tiradentes em cena. 

Processo de Conscerto do Desejo” estreou novembro de 2015 no Rio de Janeiro, onde teve três concorridas temporadas nos teatros Poeirinha e Sérgio Porto, abriu o Festival Internacional de Artes Cênicas de Pernambuco, em janeiro de 2016, foi apresentado no Festival de Teatro de Curitiba e participou do festival Gamboavista (RJ). Na cidade de São Paulo, cumpriu temporada esgotada no Sesc Pompéia, de 7 de abril a 1 de maio.

Matheus Nachtergaele era um bebê de apenas três meses quando perdeu a mãe, em 1968. Ao ler seus poemas, já em sua adolescência, sentiu como se a mãe falasse com ele e são estes textos que leva agora ao palco, em um recital. “Dela, me restaram seus poemas, lindos e maduros, escritos de uma jovem mulher moderna e triste, e essa veia que me marca a testa quando rio ou choro muito”, diz Nachtergaele.

A construção desse espetáculo, segundo o ator (e diretor), acontecerá diante do público: ”Preciso das pessoas, como observadores emocionados disso tudo. Quero ir consertando meu desejo de acordo com essa emoção, dia após dia. Como na vida. Como no teatro. Isso, só o teatro pode nos trazer. Temos um ator, um violão, lindos poemas e a canção. Tudo pequenininho para a grandeza do essencial: artista e espectador em oração profana”.

Processo de Conscerto do Desejo | Por Matheus Nachtergaele

Poucas palavras se confundem tanto em nossa língua quanto 'concerto' e 'conserto'. Aqui, elas se mesclam vertiginosamente. A palavra desejo, em filosofia, seria a tensão em direção a um fim de onde se espera satisfação. Tradicionalmente o desejo pressupõe carência, ou alguma forma de indigência: Um ser que não carecesse de nada, não desejaria nada. Seria um ser perfeito, um Deus. Por isso a filosofia, tantas vezes, considera o desejo como característica primeira do ser imperfeito, do ser finito. Quero consertar meu desejo com poesia, num concerto. Explico: minha Mãe, a poeta Maria Cecília Nachtergaele, faleceu quando eu era um bebê de três meses. Dela, me restaram seus poemas, lindos e maduros, escritos de uma jovem mulher moderna e triste, e essa veia que me marca a testa quando rio ou choro muito. Em “Processo de Conscerto do Desejo”, acompanhado pelo jovem violonista Luã Belik e do violinista Henrique Rohrmann, direi finalmente os poemas que guardei nos olhos e na alma como única herança dela. O espetáculo é simples assim: Um homem (que por acaso é um ator) diz no palco as palavras escritas por sua mãe. Um violão (não por acaso, pois Maria Cecília amava os violões) o companha. É só isso, se isso for pouco.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
                  
AR YAPUANA | AR YAPUANA | Fármacia de Manipulação Gislaine | Pizza Á Bessa |