Lifestyle Bem Estar
00/00/0000 O alcoolismo em duas perguntas
Copos e garrafas de bebida: questionário curto e simples pode ajudar a identificar alcoólatras - StockPhoto
Copos e garrafas de bebida: questionário curto e simples pode ajudar a identificar alcoólatras - StockPhoto

Duas perguntas são o bastante para estabelecer se uma pessoa sofre ou tem risco de desenvolver um problema com álcool, afirma estudo britânico voltado para clínicos gerais. “Quão frequentemente você bebe seis ou mais drinques em uma ocasião?” e “aconteceu algo no último ano como resultado do seu uso de álcool ou drogas que você desejaria que não tivesse ocorrido?” são as duas questões simples que o médico deveria fazer para detectar possíveis casos de abuso no consumo de bebidas.

Cientistas da Universidade de Leicester, liderados pelo psicólogo e oncologista Alex Mitchell, revisaram 17 estudos anteriores sobre o álcool com um total de 5.646 pessoas para avaliar se uma triagem preliminar usando uma ou duas perguntas poderia fornecer fundamentos acurados para uma eventual intervenção. A equipe descobriu que “a abordagem ótima parece ter apenas duas questões”, seguidas por possivelmente mais quatro perguntas.

Segundo os pesquisadores, com estas perguntas é possível ter “uma acurácia geral de 90,9% com apenas 3,3 perguntas por atendimento”. O estudo foi publicado na edição desta segunda-feira do periódico “British Journal of General Practice”.

Clínico gerais atualmente não precisam fazer uma triagem de todos os pacientes em busca de problemas com álcool, lembram os pesquisadores, mas se eles quiserem fazê-lo muitas das avaliações disponíveis têm até dez perguntas. E questionários muito grandes podem ser uma tarefa muito demorada e cansativa para ser feita com todos os pacientes. Assim, os cientistas buscaram determinar se há espaço para avaliações mais curtas que possam ser mais usadas “sem sacrificar sua acurácia”.

Com apenas as duas questões, foi possível identificar o abuso de bebidas corretamente em 87,2% dos casos, assim como identificar corretamente aqueles que não sofrem do problema em 79,8% das vezes. Já as quatro perguntas extras para aumentar a acurácia da avaliação foram tiradas do questionário “CAGE”, método de triagem de problemas de alcoolismo muito usado no Reino Unido e desenvolvido por John Ewing em 1984. Já o Teste de Identificação de Desordens no Uso de Álcool (AUDIT, na sigla em inglês) tem dez perguntas.

As consequências da conclusão de que bastam duas perguntas para detectar o abuso de bebidas em uma grande parte da população significa que os clínicos gerais podem avaliar e tratar o problema mais fácil e rápido do que se pensava.

Fonte: O Globo 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
                  
Gislaine | Pizza Á Bessa | AR YAPUANA | AR YAPUANA | Fármacia de Manipulação