Destaque Atuais
00/00/0000 Papa pede que bispos sejam claros e sem rodeios sobre a família
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O papa Francisco pediu nesta segunda-feira (6/10) aos bispos de todo o mundo reunidos no Vaticano que falem claro e sem rodeios sobre as mudanças vividas pela família católica contemporânea.

Diante dos 253 prelados, entre eles 191 bispos de todos os continentes, o Papa deu início ao primeiro dia de trabalho com um discurso curto e breve no qual garantiu total liberdade a todos os setores da Igreja. \"Falar com liberdade e ouvir com humildade\", resumiu o Papa.

A hierarquia da Igreja foi convocada no Vaticano para debater temas até agora tabu, como o casamento homossexual, os casais de fato, o divórcio, as mães solteiras e a comunhão para os divorciados que voltam a se casar, entre outras questões.

O papa argentino, de formação jesuíta, também se apresentou como a pessoa que garante a liberdade de expressão a todos os setores, divididos entre conservadores e progressistas. \"Alguns cardeais não se atreveram a dizer coisas por respeito ao Papa... Isso não está certo\", afirmou Francisco, que encoraja uma Igreja mais democrática, em contato com suas bases.

Falem \"com tranquilidade e com paz, porque a presença do Papa é garantia para todos de custódia da fé\", acrescentou.

A mudança de método de trabalho, a ideia de abordar abertamente as situações difíceis - como a pressão dos católicos que voltam a se casar para que possam comungar -, irritam os setores mais tradicionalistas. A \"condição geral de base é esta: falar claramente. Que ninguém diga que isso não pode ser feito\", disse o pontífice com seu estilo direto.

Dois sínodos sobre a família

Por duas semanas, até 19 de outubro, a Igreja debaterá o modelo de catolicismo que propõe diante da evolução vivida pela família no início do século XXI.

O clima na sala era amigável, apesar das tensões da véspera entre vários cardeais pela publicação de livros e entrevistas contrários ou a favor de conceder a comunhão aos divorciados que voltam a se casar.

A realização de dois sínodos, já que há um programado para 2015, também é uma forma de consulta interna inédita.

\"O Papa quer, acima de tudo, ouvir e entender o que pensa a Igreja, o povo de Deus, sobre a família\", explicou em uma entrevista o cardeal alemão Walter Kasper, que apoia uma abertura aos casais divorciados que voltam a se casar.

Outros temas delicados serão abordados durante o sínodo, como a poligamia na África, o casamento gay, assuntos até agora tabu para a Igreja, que os condenava com total rigor.

Fonte: Correio Braziliense 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
                  
AR YAPUANA | AR YAPUANA | Fármacia de Manipulação Gislaine | Pizza Á Bessa |