Cultura Música
14/11/2017 Redação SAMBA E ANCESTRALIDADE TOMAM CONTA DA CAIXA CULTURAL BRASÍLIA Sambistas consagrados ressaltam a diversidade cultural e musical brasileira
Foto: Guto Martins

A CAIXA Cultural Brasília recebe o espetáculo Agô – Samba e Ancestralidade, de 15 a 20 de novembro. No mês em que se celebra o Dia da Consciência Negra, seis sambistas diferentes sobem ao palco interpretando grandes sucessos e exaltando a cultura afro-brasileira. Os ingressos estão à venda por R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada).

O encontro traz nomes como Nei Lopes, Mateus Aleluia, Fabiana Cozza, Glória Bomfim, Teresa Lopes, Filhos de Dona Maria e Afoxé Omô Ayo. De várias gerações e regiões, os artistas destacam a diversidade cultural e musical brasileira, além de apresentar uma relação íntima com o ritmo e com as tradições de matriz africana.

Interpretando algumas canções de sucessos do samba e músicas do seu primeiro disco, Clara Essência, a cantora Teresa Lopes ressalta que quem somos e o samba que fazemos vêm da ancestralidade. “É ela que nos guia, nos guarda e nos leva para frente. É importante lembrar que a consciência negra deve estar presente todos os dias, não apenas em determinadas datas”, destaca.

A área externa da CAIXA Cultural será palco de apresentação do grupo de percussão afro, Omô Ayo, com entrada franca. O projeto encerra com o show de Fabiana Cozza, subindo ao palco com um repertório que conta com músicas como OrixáVelhos de Coroa e Mama Kalunga. A cantora explica que a sua relação com a ancestralidade afro-brasileira vem da música e do seu interesse pela cultura. “O samba me embalou desde quando nasci e foi ele que me levou para o mundo da música”, completa.

A programação conta ainda com a palestra Sambas: histórias de terreiros com o cantor, compositor e pesquisador Nei Lopes, dia 15 de novembro. A participação é gratuita, limitada à lotação do teatro.

Sobre os artistas: 
Nei Lopes - Cantor, compositor e escritor, Nei gravou, em 1978, o disco Ao Povo em Forma de Arte. Em 1981, lançou O Samba na realidade: A utopia da ascensão social do sambista, um dos livros mais importantes sobre o gênero. Estudioso das culturas africanas, Nei também escreveu Rio Negro, 50, sobre a afirmação do negro na sociedade brasileira da década de 1950.

Mateus Aleluia - Nascido em Cachoeira (BA), Mateus é o único integrante ainda vivo do grupo Os Tincoãs. Atualmente, o trabalho do cantor e compositor combina as influências da música da Bahia com a produção feita em Angola, país onde morou por 20 anos.

Fabiana Cozza - Com mais de 20 anos de carreira, Fabiana já cantou com nomes como Elza Soares, Leny Andrade e Luiz Melodia. A artista também levou suas músicas para a Europa e América do Norte.

Glória Bomfim - Baiana radicada no Rio de Janeiro, Glória lançou, em 2013, o disco Anel de Açocom canções imersas no universo do candomblé. No mesmo ano, foi vencedora do Festival Carioca Novos Bambas do Velho Samba.

Teresa Lopes - Filha de cariocas, Teresa cresceu com música. Ainda criança, cantava e dançava com as irmãs e o pai, mas logo depois passou a cantar na igreja e em festinha de amigos. A cantora já dividiu o palco com nomes como Almir Guineto e Dona Ivone Lara e em breve lançará o primeiro disco da carreira.

Filhos de Dona Maria - Formado por Amílcar Paré (voz e violões), Artur Senna (percussão e coro), Khalil Santarém (voz e cavacolim) e Vinícius de Oliveira (voz, banjo e percussão), o grupo une a chula, o afoxé, o jongo e a musicalidade da capoeira. Em 2015, lançaram o primeiro disco, Todos os Prazeres.

Grupo de Percussão Afro Omô Ayo - Criado em 2014, o grupo tem mais de 30 integrantes e tem o repertório totalmente influenciado pela música afro-brasileira.

Programação: 
15 de novembro (18h) - Palestra com Nei Lopes 
15 de novembro (20h) - Show com Nei Lopes 
16 de novembro (20h) - Show com Filhos de Dona Maria 
17 de novembro (20h) - Show com Mateus Aleluia 
18 de novembro (20h) - Show com Teresa Lopes 
19 de novembro (19h) - Show com Glória Bomfim 
20 de novembro (19h) - Cortejo com Grupo de Percussão Afro Omô Ayo 
20 de novembro (20h) - Show com Fabiana Cozza

Serviço: 
Show: Agô – Samba e Ancestralidade 
Local: Teatro da CAIXA Cultural Brasília (SBS Quadra 4 Lotes 3/4) 
Dias: De 15 a 20 de novembro de 2017 
Horários: Quarta-feira a sábado, às 20h; domingo, às 19h e segunda-feira, às 20h 
Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 12 anos 
Duração: 120 minutos 
Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia entrada) 
Meia-entrada: Estudantes, professores, funcionários e clientes CAIXA, pessoas acima de 60 anos e doadores de livros. 
Capacidade: 406 lugares (8 para cadeirantes) | Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais 
Bilheteria: De terça a sexta e domingo, das 13h às 21h, e sábado, das 9h às 21h. Contato: (61) 3206-6456 
Patrocínio: CAIXA e Governo Federal 

DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS