Lifestyle Entretenimento
04/05/2017 Redação Show Na Boca do Mundo com Flávio Faria e Toninho Maya Dois expoentes da música brasiliense que exerceram papel essencial na formação do cenário musical candango se apresentam em duo de violão no Sexta Sonora

Difícil não falar da música candanga sem relacionar Flávio Faria e Toninho Maya. Os violonistas representam uma época em que Brasília ainda respirava a criatividade musical do rock'n roll característica da cidade. Toninho, considerado um dos melhores guitarristas do Brasil, teve papel essencial na formação de músicos de bandas de rock como Legião Urbana, Plebe Rude e Capital Inicial. Já Flávio se destacava por suas composições com mistura rítmica, onde criava um som mais moderno, que pode ser ouvido em músicas como “Fala Palhaço”, que lançou o extinto grupo Invoquei o Vocal, no final dos anos 1980. Na apresentação que farão no Sexta Sonora, na sexta-feira 5 de maio, às 19h30, no C'est la Vie, o duo leva o show "Na Boca do Mundo" que resume três décadas do trabalho de Flávio Faria.

Conhecidos pela altíssima qualidade da música que apresentam, Flávio, acompanhado de Toninho, apresenta um repertório novo, de estilo atual, inovador, fruto da mistura rítmica de rocks, sambas, xotes e funks, acrescidos de um balanço sutil, próprio do autor. Suas músicas  possuem poética rica, inspirada no cotidiano urbano e nas buscas e anseios do homem moderno. Sua obra é resultado de sua própria vivência, do seu aprendizado pelas ruas de Brasília e do mundo. “Como todo candango, sou fruto da mistura de culturas, sou fruto da migração de diferentes povos, que participaram da nossa vida desde a infância. Vim de Minas, mas convivi com nordestinos, cariocas, paulistas e gaúchos desde pequeno. Sou um pouco de cada um deles”, afirma Flávio. “Minha música nasce desta mistura de sons e sentimentos urbanos, de uma pessoa que vive e vê a cidade por baixo: pelos bares, becos e bueiros. De uma pessoa que observa a vida com os olhos sempre encantados, com o coração apaixonado pelas coisas simples do cotidiano”.

Flávio e Toninho ainda mantém viva e pulsante a áurea musical que pairava em Brasília na década de 1980 e 1990. O show também reaproxima dois grandes amigos que fizeram história na cena musical da cidade. Os dois foram proprietários do conceituado Estúdio Artimanha, por onde passaram muitos artistas e bandas famosos, como Rosa Passos, Os Raimundos, Pato Fu, Cássia Eller, Célia Porto, Zélia Duncan e outros.

Toninho Maya foi líder da Banda Artimanha, que marcou o jazz brasiliense nos anos 1980 e 1990, além de ter exercido papel essencial na formação de músicos que vieram a constituir diversas bandas de rock de Brasília. Flávio possui diversos parceiros em Brasília, como os poetas Vicente Sá e Fabrízio Morelo, e os compositores Sérgio Duboc (Liga Tripa) e Aloísio Brandão. Já compartilhou o palco com Cássia Eller, Renato Matos, Liga Tripa, Célia Porto e outros artistas que marcaram época na cidade.

Mais sobre os músicos

O mineiro Flávio Faria foi figura carimbada das salas Villa Lobos e Funarte, e dos antigos teatros da Escola Parque, Galpão e Galpãozinho. Também participou do Projeto Pixinguinha ao lado de Nana Caymmi e do falecido Johnny Alf, autor do clássico da MPB “Eu e a Brisa”.Possui diversas músicas gravadas por cantores e bandas de dentro e fora de Brasília. É o autor da música “Fala Palhaço”, que lançou o extinto grupo “Invoquei o Vocal”, no final dos anos 1980, e do “Samba da Rua Oito”, gravado por Célia Porto e Liga Tripa, composto em parceria com Sérgio Duboc e Vicente Sá. Nascido de uma família interiorana de 8 irmãos, não poderia ter sido diferente: a música veio quase do berço. Seus dois irmãos mais velhos se formaram em Conservatório de Acordeom no interior de Minas, quando Flávio ainda era criança. Sempre ouviu o que havia de melhor da MPB e da música clássica, influenciado pelos familiares e pelos amigos que fez mais tarde, em Brasília. Começou a tocar violão e a cantar na pré-adolescência, com excelente orientação de profissionais gabaritados, como o violonista Luciano Fleming e a professora de canto Ana Maria Martins. Violonista e cantor de respeito, Flávio iniciou sua carreira compondo trilhas para Teatro. Também atuou como produtor de jingles nos anos 1990. Flávio sempre esteve ao lado de músicos que mais tarde se tornariam consagrados, como é o caso do próprio Toninho Maya, e de outros talentosos artistas, como Jorge Helder (que toca com Caetano e Chico Buarque), Nema Antunes (baixista do Ivan Lins), Rênio Quintas (maestro e marido da cantora Célia Porto), Jaime Ernest Dias (violonista), dentre tantos outros. Flávio também atua na área da literatura. É autor do livro “A Expedição Solar”, publicado pela editora Planetário de São Paulo, que foi indicado ao Prêmio Jabuti de 2004.

Toninho Maya guitarrista, violonista e compositor, vem exercendo a atividade musical desde 1978. Integrou grupos de música instrumental como o CHAKRAS”, “BANDA ARTIMANHA” e ÁRIA TRIBO, que executavam composições próprias, temperadas nos ritmos brasileiros e afroamericanos. Acompanhou artistas como Leila Pinheiro, Zélia Duncan, Cássia Eller, Dinho Ouro Preto, Eliete Negreiros, expoentes da música brasileira, além de talentos locais como Renato Matos, Flávio Faria, Adriano Faquini, Pierre Aderne. Dividiu o palco com grandes instrumentistas brasilienses como Vidor Santiago, Jorge Elder, Adriano Giffoni, Renato Vasconcelos, Sérgio Galvão e Lula Galvão. Suas atuações foram premiadas no Festival de Jazz da Casa Thomas Jefferson e no Festival Livre de Música Popular. Toninho Maya desenvolve atualmente um trabalho solo com abordagens acústicas, no violão com cordas de nylon, mas com toques de jazz, funk, blues e rock.

Serviço
Show "Na Boca do Mundo" - Flávio Faria e Toninho Maya
Sexta-feira, 5 de maio
Horário: 19h30
Endereço: C'est la Vie - CLS 408 bloco A loja 05
Reservas: 3244-6353
Couvert R$ 10
C.I.: Livre

DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
                  
Vertical Veículos | Vertical Veículos | Vertical Veículos