Lifestyle Bem Estar
00/00/0000 Sobe em 84,6% afastados do trabalho por uso de cocaína
Em uma cadeira de rodas, de óculos escuros, dopado, o vendedor Reinaldo Mira, então com 61 anos, é internado contra crack (Maurício Rummens / Diário de São Paulo)
Em uma cadeira de rodas, de óculos escuros, dopado, o vendedor Reinaldo Mira, então com 61 anos, é internado contra crack (Maurício Rummens / Diário de São Paulo)

O número de brasileiros afastados do trabalho por auxílio-doença ligado a cocaína e suas variações (como crack e merla) subiu 84,6% entre 2009 e 2013. Segundo o jornal Folha de S.Paulo, um estudo do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) mostra um grande crescimento nos últimos cinco anos dos pedidos de trabalhadores para afastamento ligado a droga e o álcool, em especial na região norte-nordeste.

O número de auxílio-doença por alcoolismo ou dependência química subiu 50% em nove Estados brasileiros e no Distrito Federal. Lideram a lista: Amapá, Pernambuco, Goiás, Paraíba, Distrito Federal, Pará, Ceará e Mato Grosso. Os pedidos de auxílio por múltiplas drogas aumentaram 67,3% no período e 19,6% devido ao consumo de álcool. São Paulo, o Estado mais populoso da nação, é o que tem o maior número de auxílio. Foram 42.649 no ano passado, um aumento de 17,9% em relação a pesquisa anterior de 2009.

O único Estado a ter queda no índice foi Alagoas. O auxílio doença do INSS é concedido aos trabalhadores segurados pelo INSS que não perderam o emprego ao se ausentar. O valor recebido vai de R$ 724 a R$ 4.390,24. De 2009 até o último mês, o governo federal gastou aproximadamente R$ 206 milhões com auxílios-doença aos dependentes químicos.

Fonte: Terra 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO
TAGS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
                  
AR YAPUANA | AR YAPUANA | Fármacia de Manipulação Gislaine | Pizza Á Bessa |